Enfrentar o novo coronavírus (Covid-19) tem sido desafiador para todos, ainda mais para os profissionais de saúde, que estão na linha de frente de atendimento à população.

Para dar apoio e demonstrar agradecimento, alunos do 1º ano do Ensino Fundamental do Colégio Marista de Criciúma, organizaram uma maneira de homenagear e apoiar enfermeiros e médicos que estão lidando diariamente com a saúde dos moradores.

Com apenas 6 anos, os estudantes tomaram a iniciativa de fazer desenhos e cartas para profissionais de diversas instituições de Criciúma e cidades próximas.

Alunos do 1º ano do Ensino Fundamental do Colégio Marista, de Criciúma, organizaram uma maneira de homenagear e apoiar quem está na linha de frente / Fotos: Divulgação

A professora Carla Mendes conta que o projeto surgiu da preocupação e da vontade de ajudar das próprias crianças.

“Desde o começo do ano os alunos têm acompanhado as medidas de prevenção que precisam ser tomadas, até chegarmos à quarentena. Nesse momento, eles decidiram pôr em prática os valores que aprendem todos os dias e contribuir da maneira que podiam”, explica.

O Projeto de Intervenção Social (PIS) ganhou o nome de ‘Mensageiros da alegria’ e o lema é: entregar amor com muita cor.

A primeira instituição a ganhar desenhos e frases de apoio foi a Unimed de Criciúma.

Depois foi a vez do Hospital São José receber cartinhas de incentivo e agradecimentos.

Varal do Afeto

Lá, foi criado também o Varal do Afeto, uma mostra digital para expor os desenhos recebidos nos computadores do hospital durante todo o mês, sem risco de contaminação.

Os médicos e enfermeiros retribuíram o carinho com fotos de agradecimento e depoimentos mostrando que o objetivo das crianças foi alcançado.

“Estou imensamente agradecida e assim que tudo isso passar quero agradecer pessoalmente a aluna Valentina. Você renovou minhas forças”, declarou a funcionária Niceia Felix.

O próximo passo é expandir o projeto para o Hospital São Donato, em Içara.

Objetivo é homenagear e apoiar enfermeiros e médicos que estão lidando diariamente com a saúde dos moradores

Na opinião de Carla, essa iniciativa desenvolve a alfabetização, a motricidade e, acima de tudo, a empatia dos alunos.

“Nesse projeto, eles podem desenvolver uma série de habilidades de uma vez só, e o mais importante é que podem fazer a diferença na vida de outras pessoas. Os aprendizados serão levados como lembrança desse período histórico e único da humanidade”, analisa.

Os alunos também criaram desenhos para levar uma mensagem de apoio aos vizinhos e parentes próximos.

Eles fizeram avisos de porta com frases de incentivo e alívio para apoiar os moradores vizinhos e dar força para continuar a quarentena.