Guaramirim conheceu ontem (30) os três vencedores do Prêmio Professor de Práticas Inovadoras, promovido pela Secretaria de Educação. O primeiro lugar ficou com a professora Flávia Regina Lemke Truppel, da escola municipal Urbano Teixeira da Fonseca, por um projeto que envolveu criação de jogos educativos com material reciclado.

A segunda e terceira colocação ficaram com Eliane Maciel, da escola Professora Alice Olinger Dias, e Eliane Marques Nitz, da escola Vereador Heitor Antonio da Silva, respectivamente. A disputa contava com dez finalistas.

Os ganhadores, conforme a secretária de Educação, Marja Prüsse Rebelatto, vão ser agraciados com uma viagem para Brasília, onde poderão conhecer o Ministério da Educação e outros pontos turísticos. O prêmio envolvia as categorias de educação infantil e ensino fundamental.

O prefeito de Guaramirim, Luís Antônio Chiodini, declara estar feliz em conseguir oferecer esta oportunidade para uma "área que ultimamente está tão desvalorizada". "Isso é tanto no sentido estatal quando na sociedade em geral. Os professores lutam por respeito. Sem essa profissão, não existem as outras", enfatiza.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

Professor de carreira, Chiodini cresceu em uma família de docentes e relata que, muitas vezes, as iniciativas elaboradas pelos professores em sala de aula não chegam até a comunidade e passam desapercebidas. Segundo o prefeito, esta foi uma forma encontrada de valorizar os profissionais e incentivá-los a aperfeiçoarem os conhecimentos.

A secretária de Educação ressalta que todos os professores conseguiram trazer práticas realmente inovadoras para o prêmio. "Algumas já eram conhecidas pela Secretaria, mas são projetos que se destaram e tiveram resultados positivos, mostraram um novo jeito de aplicar o conteúdo", comenta.

Para Marja, no momento atual, é essencial que o professor seja criativo, inovador e aproxime os alunos das situações mais adversas que podem influenciar a vida deles.

Vencedora quase não se inscreveu

A professora Flávia Regina Lemke Truppel quase não se inscreveu no prêmio, mas um incentivo dos colegas a fizeram investir no projeto. "Eu tinha abordado uma área ampla, mas com foco especial nas crianças da inclusão", comenta.

Flávia trabalha com os alunos do ensino fundamental da escola Urbano Teixeira da Fonseca e desafiou as crianças a transformarem materiais recicláveis em jogos e atividades que estimulassem a aprendizagem.

"Mesmo com o material fornecido pelo Ministério da Educação, as crianças tem diferentes necessidades especiais. Para atingir todas elas e ajudá-las, fui fazendo esses jogos. Como era algo concreto e visual, ficava mais fácil deles entenderem as questões e conceitos propostos", declara.

Conheça os projetos vencedores

1º lugar: Flávia Regina Lemke Truppel

Transformando material reciclável em jogos educativos: o projeto se baseou em construir jogos e atividades lúdicas para auxiliar e tornar mais significativo o processo de aprendizagem, oferecendo entretenimento de uma forma mais interativa aos alunos.

2º lugar: Eliane Maciel

O olhar da criança sendo apresentado de forma concreta através de cartões postais: a professora propôs ilustrar as belezas naturais por meio de cartões postais, incentivando diferentes habilidades nas crianças.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

3º lugar: Eliane Marques Nitz

Segredos: discutiu o abuso infantil e outras formas de violência e orientar as crianças para se proteger e buscar ajuda se necessário.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?