De acordo com informações da revista Pequenas Empresas Grandes Negócios, o cientista e professor sul-coreano Cho Jae-Weon elaborou um banheiro que transforma as fezes em biogás metano para usar no sistema de energia do colégio.

Jae-weon é professor de engenharia urbana e ambiental do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Ulsan (UNIST) e tem o projeto conhecido pelo mundo todo como banheiro BeeVi (um acrônimo em inglês que significa “visão de abelha”) e usa uma bomba de vácuo para enviar os fezes para um tanque subterrâneo, com uso reduzido de água.

Os micro-organismos, então, quebram as fezes e o metano é canalizado para uma célula de combustível de óxido sólido, que se torna uma fonte de energia para vários aparelhos da escola, como o aquecedor de água ou o fogão a gás.

“Se pensarmos fora da caixa, as fezes têm um valor precioso para produzir energia e esterco. Coloquei esse valor em circulação ecológica ”, disse o professor à Reuters.

Conforme o cálculo feito pelo professor, as fezes diárias de um ser humano, estimadas em 500g, podem gerar cerca de 0,5 quilowatt-hora de eletricidade.

Ao lado do BeeVi foi colocado um QR Code para que os alunos escaneiem com o celular e ganhem 10 criptmoedas por dia, por meio de uma moeda digital batizada de chamado Ggool (mel, em coreano). A iniciativa é muito interessante, pois os alunos podem gastar seus Ggool em itens na cantina da escola ou com livros.