Conscientizar as pessoas sobre os cuidados básicos para prevenir a hipertensão arterial, um mal que atinge aproximadamente 25% da população brasileira, de acordo com o Ministério da Saúde. Este é o principal objetivo neste 26 de abril, Dia Nacional de Combate a Hipertensão. Em Jaraguá do Sul a Secretaria da Saúde, por meio da Estratégia Saúde da Família (ESF) tem cadastradas 7.286 pessoas diagnosticadas com a doença e que são atendidas pelo programa no município. Hoje, a Unidade Básica de Saúde da Vila Nova é a que concentra mais ocorrências da doença com 21,93%, seguido por Rio Cerro II (20,52%) e Vila Lenzi (18,97%) nas três primeiras colocações. A hipertensão ou pressão alta é caracterizada quando a pressão arterial está acima dos 120 de máxima e 80 de mínima, convencionalmente chamado de “12 por 8”. A médica da Unidade de Saúde da Vila Lenzi, Mônica Flávia Imroth, explica que a prevenção ainda é o melhor remédio. “A hipertensão é uma doença silenciosa que se manifesta de diferentes formas de pessoa para pessoa. Por isso, é necessário fazer o controle numa unidade de saúde mais próxima. A maneira mais simples é aferir a pressão. A pessoa já diagnosticada como hipertensa tem que ter esse cuidado pelo menos duas vezes por semana”, destacou a doutora. Redução do consumo de sal e exercícios físicos com acompanhamento são as outras medidas.
A hipertensão ou pressão alta é caracterizada quando a pressão arterial está acima dos 120 de máxima e 80 de mínima, convencionalmente chamado de “12 por 8” | Foto PMJS/Divulgação
Já a nutricionista do Núcleo Ampliado da Saúde da Família, Mayara Cristina Mollert, destaca que um fator muito importante no combate à hipertensão é o controle de peso. “É muito importante porque o sobrepeso é um dos fatores que desencadeia o problema”, ponderou. Mayara acrescenta ainda que uma das formas de prevenção mais eficientes é optar por “alimentos in natura” ao invés das comidas industrializadas. “Priorize sempre os alimentos naturais, inclusive busque soluções naturais para temperar seus pratos como ervas, cebola e alho. Tanto temperos como alimentos industrializados utilizam normalmente muito cloreto de sódio (sal) em suas composições, além de conservantes entre outros componentes que podem ser prejudiciais para algumas pessoas”. Ela pondera que o consumo excessivo de alimentos como massas, ricos em carboidratos (macarrão, biscoito, nhoque, pão) deve ser evitado. No que se refere a bebidas, Mayara é enfática. “A água ainda é o melhor e mais saudável forma de hidratação do nosso organismo e garante o bom funcionamento dos rins, algo importante para o controle arterial”, destacou. Sucos naturais ao invés de industrializados também são outra dica da nutricionista. Já para quem é adepto do cafezinho, vai o alerta da profissional: “O café é um estimulante natural. A dica é que se bebe no máximo três xícaras por dia, puro sem açúcar ou adoçante. Mas se não consegue tomar o café puro, a dica é adoçar com açúcar mascavo ou demerara, mas de forma moderada”.

Exercícios físicos

Além das orientações médicas e nutricionais a prática de exercícios fecha o “tripé preventivo” contra a pressão alta. O professor de Educação Física e Coordenador da Academia de Saúde do bairro Vieira, Marcelo Arenhart, que o diga. Ele aproveitou a data para dicas aos pacientes da Unidade de Saúde do bairro Três Rios do Norte. Depois de uma breve conversa sobre o tema, ele comandou uma série de exercícios e alongamentos com os presentes. “Dentro deste contexto, a atividade física é muito importante já que é vaso dilatadora e por isso indicada para hipertensos”, observou. O primeiro passo, continua Arenhart, é a avaliação médica. “Depois iniciar com uma atividade física mais leve. É preciso quebrar a rotina seja você operário, dona de casa ou empresário”, observou. O educador físico destaca ainda que existe uma fórmula que permite calcular a frequência cardíaca ideal para cada tipo de pessoa que seria basicamente esta: 220 - idade x 50%, O resultado desta conta é quantidade de batimentos para que a pessoa não tenha risco de infarto ou de uma crise de pressão alta. “Já no caso das pessoas diagnósticas o índice de 50% deve ser substituído por 40% nesta fórmula”, completou Marcelo Arenhart.

Estatísticas

De acordo com a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), a doença é muito comum, acomete uma em cada quatro pessoas adultas. Assim, estima-se que atinja 25% da população brasileira. A entidade destaca ainda que 50% dos casos registrados no País ocorre após os 60 anos. Outros 5% envolvem crianças e a adolescentes do Brasil. O levantamento da SBH aponta que 80% dos derrames e 25% dos quadros de insuficiência renal terminal são consequências da hipertensão. Os profissionais entrevistados e a própria Secretaria da Saúde de Jaraguá do Sul alertam: “as graves consequências da hipertensão podem ser evitadas, desde que os hipertensos conheçam sua condição e mantenham-se em tratamento adequado. DOENÇAS E INTERNAÇÕES DEVIDO A HIPERTENSÃO EM JARAGUÁ DO SUL (2016/17) Mortes por infarto em 2016* 33 casos – 48,8% antes dos 70 anos Internações por infarto em 2017 100 casos – 85% antes dos 70 anos Morte por doenças cerebrovasculares em 2016* 60 casos – 25% antes dos 70 anos Morte por insuficiência renal em 2016* 7 casos – 14% antes dos 70 anos *Dados de 2017 ainda não fechados. Fonte: Secretaria de Saúde da PMJS Com informações da Prefeitura de Jaraguá do Sul