Tendo em vista questionamentos sobre como ocorre o processo de envio de vacinas contra a Covid-19 para os municípios, a Prefeitura de Jaraguá do Sul, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, emitiu uma uma nota esclarecendo este procedimento.

O documento ressalta que o município de Jaraguá do Sul segue o calendário de vacinação para a Covid-19, disponibilizado pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica – DIVE, do estado de Santa Catarina, seguindo os preceitos estabelecidos pelo Plano Nacional de Vacinação, do Ministério da Saúde.

No texto, a equipe técnica da Diretoria de Vigilância em Saúde informa que o calendário de vacinação Covid-19/SC previa a imunização da faixa etária de 50 a 54 anos completos, entre os dias 14 a 30 de junho de 2021, mas o município de Jaraguá do Sul iniciou está faixa etária no dia 13 de junho, com o total de 7.760 pessoas vacinadas.

Já para a faixa etária de 45 a 49 anos, o calendário do Estado prevê a vacinação entre os dias 01 a 15 de julho, mas o município também iniciou antes a imunização, no dia 26 de junho, sendo que 4.248 pessoas já receberam a primeira dose (dados do dia 30/06/2021).

Atualmente a vacinação contempla a faixa etária de 46 anos completos.

Conforme estes dados, o município está adiantado em uma semana no calendário estadual de vacinação. Na segunda-feira (28) foram imunizadas 1.423 pessoas, o recorde para apenas um dia.

O documento emitido pela Secretaria Municipal de Saúde de Jaraguá do Sul reforça que a Nota Técnica Nº 030 GEDIM/DIVE/SUV/SES, orienta que os municípios só devem avançar para a próxima faixa etária, antes das datas estabelecidas pela projeção estadual, caso a cobertura vacinal do grupo etário que estiver sendo vacinado for superior a 75%.

A abertura para uma nova faixa etária está diretamente atrelada à quantidade de vacinas que são recebidas do governo estadual por meio da Regional de Saúde e ao cumprimento da Nota Técnica Nº 030.

A distribuição das vacinas

Em relação as vacinas, a Nota da Secretaria Municipal de Saúde, esclarece que os municípios não têm governança sobre a quantidade, o tipo e a data de recebimento das vacinas, isto fica por incumbência do Estado de Santa Catarina e das Regionais de Saúde. Por sua vez, o município tem por responsabilidade a logística de armazenamento e aplicação das doses.

A suspensão da vacinação

Em relação à suspensão temporária da vacinação, a Secretaria Municipal de Saúde reafirma que este procedimento está atrelado ao recebimento de novas doses por parte do Ministério da Saúde e Governo do Estado.

A suspensão ocorre, eventualmente, com a primeira dose (D1), e o município segue o cumprimento da aplicação da segunda dose (D2), conforme o esquema vacinal individual. Situação semelhante também ocorre com outros municípios.

A Secretaria Municipal de Saúde lembra que algumas cidades trabalham com o cadastro prévio seguindo as faixas estabelecidas no calendário de vacinação, como por exemplo, os municípios de Joinville e Blumenau. Mas, esclarece que este cadastramento é apenas um planejamento e não se configura como uma imunização imediata, em suma, a faixa etária disponível para cadastramento é diferente da faixa etária imunizada.

Os técnicos da Saúde frisam que a postura adotada pelo município de Jaraguá do Sul ocorre por meio do “chamamento populacional”, por ordem decrescente, via canais oficiais de comunicação da Prefeitura.

O critério para a distribuição das doses

O município de Jaraguá do Sul questionou a Diretoria de Vigilância Epidemiológica – DIVE - sobre o percentual de distribuição das doses de vacinas por município. Segundo o órgão do Governo do Estado, o Ministério da Saúde utilizou como base as estimativas preliminares de 2020, elaboradas pelo próprio Ministério da Saúde/SVS/DASNT/CGIAE, que levam em consideração a característica populacional de cada município, para a distribuição dos imunizantes.