A Prefeitura de Jaraguá do Sul, por meio do setor de Planejamento e Vigilância Socioassistencial, da Secretaria de Assistência Social e Habitação, fez um levantamento sobre os registros mensais de atendimentos da Proteção Social Especial de Média Complexidade, em relação aos atendimentos oferecidos às mulheres vítimas de violência.

Foram levantados os dados de 2019, 2020 e primeiro semestre de 2021 do Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (PAEFI). Segundo a Tipificação Nacional dos Serviços Socioassistenciais, o PAEFI serve como apoio, orientação e acompanhamento a famílias com um ou mais de seus membros em situação de ameaça ou violação de direitos.

Atendimentos às mulheres vítimas de violência - 2019

Em 2019 a média mensal de famílias em acompanhamento foi de 260. Já de famílias inseridas em acompanhamento durante o ano, o número chegou a 338.
Deste total, 62 mulheres eram adultas e 20, idosas. Acessaram o serviço por demanda espontânea, 41 mulheres.

Em percentuais, a média mensal de pessoas vitimadas compreende 2,58% de mulheres adultas e 0,83% mulheres idosas.
Os dados apontam que, das 24 pessoas idosas vítimas de violência intrafamiliar (física, psicológica e sexual), 20 eram do sexo feminino, o que corresponde a 83,33% dos casos.

Em relação à negligência ou abandono, das 16 pessoas idosas inseridas em acompanhamento, sete (43,75%) eram do sexo feminino. Das 62 mulheres adultas inseridas em acompanhamento por violação de direitos, 41 delas (66,12%) são vítimas de violência intrafamiliar (física, psicológica ou sexual).

Atendimentos às mulheres vítimas de violência - 2020

No ano de 2020, o número de atendimentos aumentou. A média mensal de famílias em acompanhamento passou de 260 para 320 e de famílias inseridas em acompanhamento no ano, o número passou de 338 para 533. Destes, 61 eram mulheres adultas e 30, idosas. Acessaram o serviço por demanda espontânea, 50 mulheres.

Em percentuais, a média mensal de pessoas vitimadas corresponde, 2,54% de mulheres adultas e 1,25% mulheres idosas.

Em 2020, das 32 pessoas idosas vítimas de violência intrafamiliar (física, psicológica e sexual), 22 eram do sexo feminino, o que corresponde a 68,75% dos casos.

Em relação a negligência ou abandono, das 21 pessoas idosas inseridas em acompanhamento, 12 (57,14%) eram do sexo feminino. Das 61 mulheres adultas inseridas em acompanhamento por violação de direitos, 51 delas (83,60%) eram vítimas de violência intrafamiliar (física, psicológica ou sexual).

Atendimentos às mulheres vítimas de violência - 2021 (primeiro semestre)

No primeiro semestre de 2021, a média mensal de famílias em acompanhamento ficou em 296. Famílias inseridas em acompanhamento foram 181.
Do total registrado no primeiro semestre, 30 mulheres eram adultas e cinco, idosas.

Acessaram o Serviço por demanda espontânea 37 mulheres.

Em percentuais, das pessoas vitimadas, 2,50% são mulheres adultas e 0,42%, idosas.

Das seis pessoas idosas vítimas de violência intrafamiliar (física, psicológica e sexual), cinco são do sexo feminino, o que corresponde a 83,33% dos casos. Em relação à negligência ou abandono, das quatro pessoas idosas inseridas em acompanhamento, duas (50%) são do sexo feminino.

Das 30 mulheres adultas inseridas em acompanhamento por violação de direitos, 26 delas (86,66%) são vítimas de violência intrafamiliar (física, psicológica ou sexual).