Após seis meses de enfretamento ao coronavírus, os números de casos confirmados da doença em Florianópolis ainda apresentam diferença entre os dados da prefeitura da Capital e do governo do Estado. Pela Secretaria de Estado da Saúde são 12.657 registros, enquanto pela pasta municipal são 12.378, uma diferença de 279 a mais apresentada pela contagem estadual.

Além disso, o boletim informado pela secretaria estadual aponta 132 mortes pela doença, enquanto o Covidômetro indica 131, um óbito a menos segundo a prefeitura.

Por nota, a secretaria municipal de Saúde admite que possa haver duplicidade no sistema da Secretaria de Estado da Saúde.

Confira a nota da Secretaria de Saúde de Florianópolis

“Anteriormente o estado estava com mais de 5.000 casos a menos que a prefeitura, por problemas em seu sistema. Os ajustes foram feitos e agora os números estão bastante aproximados. A Prefeitura de Florianópolis contabiliza todos os casos positivos e alimenta os bancos do Estado. É possível que haja algum problema de limpeza de duplicidades de casos confirmados nos dados estaduais, por exemplo”.

Também em nota, a Secretaria de Estado da Saúde informa que fez ajustes no seu banco de dados junto ao CIASC e que disponibiliza as informações para que as prefeituras “possam avaliar, confrontar com os seus dados e/ou sistemas próprios, apontar as inconsistências e corrigir as informações na origem, quando necessário”.

Confira a nota da Secretaria de Estado da Saúde

“Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina (SES) informa que desde a última semana estava trabalhando junto com o Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina (CIASC) para esclarecer divergências no número de casos de COVID-19 entre municípios e Estado, reavaliando caso a caso os exemplos que os municípios forneceram. Todos os parâmetros utilizados na integração dos sistemas que compõem a estrutura de dados de controle da crise sanitária foram revisados, e foram identificados duas necessidades de aprimoramento:

1 - Casos que possuíam mais de uma notificação com critérios de confirmação diferentes, ou seja, uma notificação como caso confirmado e outra notificação do mesmo indivíduo, como caso descartado. Quando um caso como esse surgia, ele não era contabilizado. Foi necessário realizar ajustes na estrutura de dados para que esses casos passassem a ser contabilizados como casos confirmados.

2 - A plataforma SC Digital recebe a informação de todos os testes para COVID-19 realizados pelos laboratórios privados, independente da metodologia aplicada. Estas informações são transferidas através de uma planilha para a estrutura de dados. Tendo em vista que os resultados dos testes não são inseridos no SC Digital de forma padronizada, não era possível que a plataforma conseguisse realizar a leitura de todos os casos confirmados.

Exemplo: Muitos resultados de testes sorológicos aparecem como números, o resultado pode ser considerado como um caso de COVID-19 a partir de um valor de referência, estes casos não podem ser inferidos por meios automáticos.

Ressaltamos que estas inconsistências não influenciavam na contabilização dos óbitos.

Após a análise detalhada da estrutura de dados, que demandou um período de tempo considerável, foi possível detectar as inconsistências e realizar a correção de todos estes parâmetros.

A SES informa que, para aperfeiçoar este processo será disponibilizado em parceria com o CIASC e o Ministério Público (MP) a estrutura de dados completa a cada município, a fim de que estes possam avaliar, confrontar com os seus dados e/ou sistemas próprios, apontar as inconsistências e corrigir as informações na origem, quando necessário”.

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp