Sorrento é uma das cidades mais conhecidas da Itália e procurada pelos turistas no verão pelas praias, sol e paisagens deslumbrantes. Porém, o prefeito da cidade parece não estar muito feliz com as roupas usadas pelos moradores e visitantes.

Na quarta-feira (6) ele proibiu a circulação de pessoas usando trajes de banho pelas ruas. Não será mais permitido andar de biquini e sem camisa, e quem descumprir as regras pode ser multado em € 425, por “indecência” (R$ 2.700)

O prefeito disse para a mídia italiana que o uso dessas peças era um “comportamento indecoroso” e poderia prejudicar a imagem da qualidade de vida na cidade, além de estar causando “desconforto” a alguns moradores e visitantes. A fiscalização será feita pela Polícia Municipal.

Mas essa não foi a primeira vez que uma proibição nesse estilo é feita na Itália. Em 2013, Lipari, a maior das ilhas eólias da Sicília, criou uma lei parecida após os moradores reclamarem de maneira constante sobre os trajes “minúsculos” que alguns turistas estavam usando para circular. Em 2019, Tropea, na Calábria, também adotou a ideia e impôs uma regra parecida: ninguém pode andar com trajes de banho ou descalço em áreas mais distantes das praias.

Mas não acaba por ai. Veneza também tem uma série de imposições um tanto quanto peculiares. Além do #RoupaDeBanhoNão, na cidade também é proibido tomar banho nas águas da lagoa, comer sentado no chão, andar de bicicleta no Centro Histórico e alimentar as aves locais. O descumprimento da lei pode chegar a £ 500, equivalente a R$ 3.192,49.