Ao invés de cadeiras e guarda sol, máquinas e tubulações. No lugar de banhistas, operários e engenheiros. Esse é o cenário da praia de Canasvieiras, em Florianópolis.

O balneário mais procurado por turistas na Capital, em especial os argentinos e uruguaios, está ganhando um alargamento em sua faixa de areia que vai mudar o cenário e ofertar mais conforto aos usuários. A estimativa é entregar a obra até antes do Natal.

Dos atuais 10 metros de largura, a faixa de areia terá mais 40 metros desde ao costão que fica no sentido Jurerê, chamado de Ponta dos Morretes, até o trapiche, no sentido Cachoeira do Bom Jesus.

Para a obra, serão utilizados 350 mil metros cúbicos de uma jazida no fundo do mar, localizada a cerca de 1 km da costa. Por enquanto, o trabalho está na fase inicial, com a colocação de uma tubulação flutuante que se conectará a uma draga que começará a trabalhar na próxima semana.

Praia ficará interditada para banhiastas nos locais de trabalhos | Foto PMF/Divulgação

Segundo informações do engenheiro Pedro Tognozzi Vieira da Cruz, responsável pela obra, o trabalho de retirada de areia do fundo do mar será simultâneo ao aterramento da praia. Ou seja, ao mesmo tempo em que a areia é dragada, máquinas farão o aterro para alargar a faixa.

O acesso à praia, nos locais específicos dos trabalhos, ficará restritos durante as obras. A área fechada será alterada na medida em que o alargamento avançar.

Tubulação flutuante se conectará à draga | Foto PMF/Divulgação

Segundo Pedro Tognozzi, o trabalho de dragagem no fundo do mar vai operar 24 horas por dia. Na praia, a movimentação de terra ocorrerá entre as 6h e as 22h.

Receba as notícias do OCP pelo WhatsApp: