Os trabalhos de recuperação da ponte sobre o Rio Putanga, no Km 43 da SC-108, no limite entre Massaranduba e Guaramirim, reiniciaram na manhã de terça-feira (4), com previsão de entrega em 90 dias. Ontem o trecho da rodovia estava em meia pista e a liberação do tráfego, nos dois sentidos, era feita de forma intercalada por operários, causando lentidão no fluxo de veículos. A medida foi tomada para possibilitar a recuperação da fissura em uma das laterais, que causou a erosão após o período de fortes chuvas, no final em dezembro. O buraco recebeu cobertura com pedra e concreto. O encarregado do serviço da obra, Pedro Antônio Manoel, disse que hoje pela manhã está prevista a finalização do serviço com a colocação de camada asfáltica. A estimativa é que por volta do meio-dia a pista seja aberta para o tráfego. O diretor da empresa Araújo Construções Ltda., de Criciúma, Vilmar Araújo, confirma que a previsão de conclusão da obra, que inclui as cortinas de concreto - que dão sustentação ao aterro das cabeceiras - nas laterais da ponte, será em abril. Araújo explica que a cortina atirantada consiste na perfuração do solo com injeção de concreto. O projeto também prevê implantação de passarela para ciclistas e pedestres. A obra é financiada com recursos próprios do governo do Estado, iniciada em outubro de 2014 e inicialmente orçada em R$ 853.976,36. Ainda de acordo com o diretor da empresa, o valor inicial do contrato recebeu apenas reajustes da inflação, que não soube precisar: “Estamos de férias coletivas até dia 11 de janeiro”, justificou. O prefeito de Guaramirim, Lauro Frölich (PSD), destacou que a recuperação da ponte do Putanga “é de extrema importância, e precisa ser recuperada o mais rápido possível, porque traz toda a mobilidade para a região de Guaramirim, Massaranduba e Blumenau. Não tem mais como esperar”. O policial rodoviário do posto Itoupava Central da PRE (Polícia Rodoviária Estadual) em Blumenau, Mário Montibeller, confirma que a rodovia tem fluxo médio de 30 mil veículos por dia. Caso a SC-108 fosse interditada, a opção dos motoristas seria o acesso pela SC-415, por São João do Itaperiú, ou através da BR-470, ambas com acesso pela BR-101. O governo estadual, ao assumir a obra da ponte, cumpre determinação emitida em 14 novembro de 2014 pela juíza Liliane Midori Yshiba. Na ocasião, foi determinado que a execução da obra de recuperação deveria ocorrer no prazo de 20 dias, a partir da notificação, com multa diária de R$ 1 mil em caso de descumprimento da decisão. A determinação foi feita a partir de denúncia do Ministério Público.