Por Heloísa Jahn | Foto Reprodução A capacidade de provocar mudanças para evoluir, se fortalecer e entender a importância de seu papel na sociedade. Esse é um dos objetivos do projeto ‘Annitas - Pensem Fora da Caixa’, que faz com que as mulheres percebam sua força interior e lutem por seus objetivos e direitos, indo contra depressão e outros transtornos emocionais. Aliás, foi após cinco anos de pesquisas sobre comportamento humano e a revelação de dados preocupantes que o projeto surgiu. De acordo com a psicóloga e uma das idealizadoras da iniciativa, Sandra Gaya, o índice de depressão e outros transtornos comportamentais estão aumentando gradativamente no Brasil. Segundo informações da Organização Mundial da Saúde (OMS), 11,5 milhões de brasileiros sofrem de depressão e, de acordo com dados do IBGE, a maior concentração de adultos com depressão está no sul do país: Santa Catarina tem 12,9%, Rio Grande do Sul 13,2 % e Paraná 11,7%. “A partir desses dados começamos a desenvolver o Annitas e, como pesquisa, focamos nas mulheres inicialmente, pois a questão estava mais emergencial com o público feminino e, historicamente, tem todo o processo da situação da mulher no mercado de trabalho e todas as questões de desigualdade”, diz Sandra. O principal objetivo do projeto, realizado pelo Instituto Educação Sem fronteiras (IesfBrasil), e que será realizado primeiramente com servidoras públicas de Pomerode, é trabalhar na reestruturação emocional da mulher com o foco nas servidoras. A pesquisadora alerta que os altos índices de afastamento do trabalho por servidores públicos municipais e estaduais em Santa Catarina são por conta de transtornos mentais e comportamentais. “Decidimos focar o projeto no empoderamento. Vamos trabalhar a partir da vertente da capacidade da pessoa em ativar seus melhores recursos internos. Todos nós temos todo esse potencial. No entanto, nem todos estão conscientes de sua potencialidade”, explica. Segundo a psicóloga, existem ferramentas comportamentais - chamadas de “tecnologias comportamentais” - que contribuem para a melhora emocional do ser humano. “Quando a pessoa está com a autoestima muito baixa não consegue desenvolver bem qualquer área da sua vida. Seja pessoal ou profissional. Então, esse processo de empoderamento, de ativação dos recursos internos, é extremamente importante”, defende. Ela afirma que os resultados são positivos e, se tratando de servidoras públicas, o projeto acaba espalhando os bons resultados para todo o funcionalismo público. “Como educadoras de pessoas, no caso de Pomerode, elas estão trabalhando com seres humanos. Empoderadas e fortalecidas, essas mulheres serão multiplicadoras desses processos nas crianças”, acredita. Além disso, a psicóloga defende que quando a pessoa compreende sua força interior, ela consegue ter mais forças para lutar por condições melhores. “Fortalecida, essa pessoa com certeza vai brigar por seus direitos e vai se posicionar, mostrar padrões comportamentais positivos”, completa. Projeto será realizado por cinco meses em Pomerode Durante cinco meses educadoras de Pomerode participarão do “Annitas - Pensem fora da caixa”. A psicóloga Sandra Gaya explica que todas as mulheres participarão de um treinamento com palestras, workshops, webnários e um sistema online de treinamento voltados para o empoderamento e atividades para estimular a força interior. “Esse processo provoca mudanças comportamentais significativas para tirar essa mulher de uma condição de tristeza, depressão, fazendo com que elas se sintam estimuladas a fazer transformações positivas em suas vidas”, enfatiza.