O promotor de Justiça Eduardo Paladino, coordenador do Centro de Apoio Operacional do Consumidor do Ministério Público do Estado, recomendou ao Comando Geral da Polícia Militar que, “valendo-se do seu poder de polícia, promova o fechamento e/ou interdição de todas as lojas Havan que eventualmente ainda estejam, ainda que parcialmente, abertas ao público, independentemente da finalidade”.

Em Criciúma, a Polícia Civil fechou as duas lojas, na Próspera e Pinheirinho, que estavam abertas para serviços relacionados ao pagamento, nesta sexta-feira.

O representante do MPSC requisitou, no prazo de dois dias, informações a respeito do atendimento da recomendação, que também é assinada pela promotora de Justiça Analu Librelato Longo, titular da 29ª Promotoria da Capital.

Confira a decisão:

Com colaboração do site JusCatarina