O Hospital Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago (HU-UFSC) vem se destacando nacionalmente na área de estudos sobre a Covid-19. Atualmente, mais de 30 pesquisas sobre o tema estão sendo desenvolvidas no hospital.

A pesquisa “Avaliação do impacto no aparelho respiratório a longo prazo no âmbito da COVID-19: um estudo de coorte”, conduzida pela professora Rosemeri Maurici, chefe da Gerência de Ensino e Pesquisa (GEP) é uma delas.

 

 

O estudo que prevê o acompanhamento de pacientes que tiveram Covid-19 para avaliar as repercussões da doença foi um dos contemplados em edital do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e contará com fomento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ).

Segundo a pesquisadora, os participantes do estudo são pacientes que tiveram a doença em sua forma leve, moderada ou grave. “O objetivo, diferentemente de outras pesquisas, não é focar em tratamento para a Covid, mas o impacto da doença nestes três grupos de pacientes”, explicou.

 

O estudo que prevê o acompanhamento de pacientes que tiveram Covid-19 | Foto Divulgação/HU-UFSC

Detalhes do estudo

 

O que se espera da pesquisa?

Estudos observacionais que abordam a heterogeneidade da Covid-19 em termos de impacto sobre o aparelho respiratório a longo prazo são altamente desejáveis, uma vez que é uma doença com processo inflamatório intenso e possível dano pulmonar permanente com repercussões a longo prazo. Considerando este aspecto e as diferentes categorias de gravidade desta doença, este estudo visa identificar as repercussões da doença sobre o aparelho respiratório e seu comportamento a longo prazo em pacientes diagnosticados com Covid-19 nas formas leve, moderada e grave.

Esta avaliação além de permitir compreender melhor a história natural da doença em termos de sequelas, também permitirá inferir as repercussões sobre o sistema de saúde pós-pandemia. Então o objetivo principal desta pesquisa é avaliar as repercussões da Covid-19 em pacientes com doença leve, moderada e grave.

Os indivíduos serão avaliados no Núcleo de Pesquisa em Asma e Inflamação das Vias Aéreas (Nupaiva) 30 dias após a alta hospitalar (ou liberação do serviço de emergência naqueles indivíduos que não ficaram internados), 6 meses após, 1 ano e dois anos após.

Serão avaliadas repercussões sobre o aparelho respiratório, cardiovascular e outras avaliações que incluem força muscular, capacidade de realizar exercícios, qualidade de vida, sinais e sintomas de ansiedade e depressão, além de avaliação de resposta inflamatória por intermédio de exames de sangue.

 

Poderão participar pessoas que foram diagnosticadas com Covid-19 por intermédio de teste rápido ou PCR-RCT | Foto Divulgação/PMF

Quem poderá participar?

Poderão participar pessoas que foram diagnosticadas com Covid-19 (por intermédio de teste rápido ou PCR-RCT).

 

Durante quanto tempo será o acompanhamento?

O acompanhamento está previsto para 2 anos, com 4 consultas durante este período, além da realização de exames como pletismografia (para avaliar a função pulmonar) e ecocardiograma (para avaliar as repercussões cardíacas).

 

Como funciona para se cadastrar?

Ligando para o número (48)32347711 no período da manhã, no horário das 10h às 12h. Na ligação serão feitas algumas perguntas relativas à doença como data de internação e de alta hospitalar e será agendada a primeira consulta.

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp