Para a religião católica, o Natal é a celebração do nascimento do menino Jesus. O pároco da Igreja Matriz São Sebastião, padre Diomar Romaniv, conta que Deus enviou seu filho ao mundo para ser luz, iluminando os povos e nos conduzindo ao caminho da salvação.

No doutrina católica, Jesus assumiu em tudo a condição humana, menos no pecado, vivendo uma vida santa. Diomar diz que Deus se fez criança porque ela tem a capacidade de atrair as pessoas em volta dela.

"Ninguém tem medo de uma criança, pelo contrário, a criança reúne as pessoas", frisa.

De acordo com o padre, essa é a mensagem que Deus quer transmitir no Natal, que dele ninguém precisar ter medo. "Deus está aqui para ser amado e acolhido, ao mesmo tempo que ele ama e acolhe a todos", completa.

A igreja celebra o tempo do Advento, em quatro domingos, como preparação espiritual para o Natal. Segundo Diomar, a igreja tem como celebrações especiais a noite natalina; o dia do Natal, que se estende por oito dias; e a festa da sagrada família, a manifestação de Jesus para as nações recordando a visita dos reis magos e o batismo de Jesus.

Elementos que significam o Natal

Um dos elementos que a igreja estimula as pessoas a prepararem em casa para celebrações natalinas é o presépio. Para Diomar, esse pequeno cenário é como se fosse uma fotografia para a pessoa recordar daquele momento - a memória do nascimento de Jesus.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

Outro ponto é que o Natal deve ser um tempo de oração e contemplação, comenta o padre. Ele ressalta que essa é uma época de silêncio, recolhimento, alegria e paz, não só no sentimento, mas também de promover a paz. E, claro, reforçar o sentido de família.

"Família é fundamental para a igreja. O Natal deve ser uma festa familiar, cheio de alegria e partilha", declara.

Símbolos precisam ser melhor interpretados

A igreja católica tem como símbolo de preparação para o Natal a coroa do advento, que para eles é uma caminhada espiritual. Por isso, as quatro velas são acesas semana após semana, demonstrando a importância dessa preparação interior.

No catolicismo, a árvore de Natal simboliza um pouco dos frutos da caminhada percorrida, e também a esperança do que podemos realizar, que ainda não são frutos, mas as sementes.

"Árvore também é a alegria de estarmos celebrando, por isso se usa a luzes natalinas, que é a luz do mundo", conta.

De acordo com o padre, a igreja desconsidera o papel do Papai Noel, não no sentido de sua importância, mas que ele não pode substituir aquilo que é o centro do Natal.

"As cantatas de Natal na igreja não tem músicas de Papai Noel. Fala de amor, de paz, dos valores do Natal", enfatiza.

Apesar disso, Diomar não desmerece o Papai Noel, que foi uma figura da igreja Católica, o São Nicolau, realizando gestos de caridade.

Ele acredita que o bom velhinho precisa ser interpretado como um despertar para a caridade e solidariedade, sem se transformar em algo maior do que o nascimento de Jesus.

A Igreja Católica percebe os presentes de Natal como a maneira de demonstrar que amamos as outras pessoas, já que os reis magos também levaram presentes para Jesus, mas o padre fala que isso não pode tirar o essencial e é preciso ter equilíbrio.

"Não adianta nada gastarmos cinco horas na loja e depois chegar em casa cansado e não rezar um minuto", explica.

O padre Diomar enfatiza que Natal é o encontro com Jesus. E para encontrar Jesus é preciso rezar, participar das celebrações nas comunidades e manter um ambiente familiar cheio de fé e alegria.

O último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2010, aponta que aproximadamente 70% dos jaraguaenses são católicos, um total de 100.621 pessoas.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?