O dia 27 de janeiro de 2019 vai marcar a despedida de uma pessoa querida pelos jaraguaenses.

Após oito anos na cidade, o padre Diomar Romaniv, 35 anos, está migrando para outro desafio em Brusque e deixará a igreja Matriz São Sebastião e o comando da paróquia.

Natural de São Bento do Sul, Diomar viveu toda infância em sua cidade natal, local onde começou a despertar o desejo de ser padre.

Vindo de uma família católica, ele sempre frequentou a igreja e começou sua caminhada de fé como coroinha. "Em casa, eu costumava brincar de missa", conta.

Com 16 anos, ele entrou para o seminário, em Rio Negrinho. Na década de 2000, Diomar estudou filosofia e teologia, fez formação humana e espiritual, além de trabalhar em uma revista católica e nas comunidades.

Tudo isso em quatro cidades diferentes: Brusque, nas cidades paulistas de Barretos e Taubaté e em Montevidéu, no Uruguai.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

Ele chegou em Jaraguá em 2011 e ficou como diácono por quatro meses até ser ordenado padre em 28 de maio, em São Bento do Sul.

Até 2012 ele ficou como vigário paroquial e no ano seguinte assumiu como pároco.

"Foi uma experiência totalmente nova, aqui eu aprendi na prática o que é ser padre e tudo que o cerca", relata.

Quando começou sua caminhada como padre, ele traçou três metas que nortearam o trabalho pastoral realizado desde 2013. "Objetivo pastoral e formação, unidade e comunhão e acolhida e trabalho", enfatiza.

Um dos desafios que ele abraçou foi o de renovar as lideranças, encontrando novos agentes pastorais e procurando fazer com que as crianças e adolescentes fossem protagonista na igreja, isso tudo pensando em uma renovação a longo prazo.

"A paróquia é muito dinâmica e cheia de vida. Muita gente dá a vida por isso aqui, mas temos que pensar no futuro", comenta.

Diomar diz que as experiências mais marcantes foram em suas visitas nos hospitais, já que ele sempre teve um carinho grande pelas que pessoas estão passando por um momento complicado.

"Eu via as crianças debilitadas e pouco tempo depois elas estavam correndo no pátio da igreja. Isso é marcante para mim", diz.

Carinho dos jaraguaenses

Gratidão é a palavra escolhida por Diomar para demonstrar a sua felicidade em ver o jeito que os jaraguaenses lhe tratam. Para ele, as pessoas sempre tiveram um carinho e preocupação com seu bem estar e sua saúde.

"Foi incrível sentir o jeito que as crianças me tratam, os jovens, o zelo que os adultos tem. Me senti muito bem aqui, amado e respeitado", ressalta.

Diomar aproveitou para agradecer toda a paróquia, a população jaraguaense, as entidades que sempre foram queridas e atenciosas e os bem feitores que ajudaram a igreja financeiramente.

"Tudo que fizemos é graças a generosidade, bondade e participação de todos. Nada eu fiz sozinho", expõe.

Ele diz que nessa década todos em volta da igreja fizeram um grande trabalho pastoral e administrativo e essa riqueza ainda vai continuar na comunidade.

Transferência para Brusque

A nomeação de Diomar aconteceu no dia 22 de novembro e faz parte de um processo natural.

Depois de um período trabalhando em determinada cidade, o padre é designado a trabalhar em outro lugar, para continuar exercendo uma caminhada com renovação.

Mesmo assim, ele conta que é processo difícil, já que ele viveu com intensidade a vida em Jaraguá do Sul, criou amizades e vínculos, mas Diomar ressalta que tudo que foi construído continuara engrandecendo o município.

Caras novas

Com a partida de Diomar, dois novos rostos vão surgir em Jaraguá do Sul no fim de janeiro. Hélio Feuser vai ser o novo padre.

Experiente, ele já trabalhou seis anos na Paróquia São Cristóvão, em Itajaí. O professor de teologia, que estava em São Paulo, Elói Schons será o novo vigário paroquial.

A missa de despedida de Diomar será no dia 27 de janeiro, em um domingo a noite. Sua posse em Brusque, ocorre exatamente uma semana depois, no dia 3 de fevereiro.

"Lá também é uma comunidade grande, uma paróquia bem estruturada e o desafio eu ainda vou descobrir", ressalta.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?