Neste mês, é celebrado o Outubro Rosa, campanha mundial de conscientização sobre o câncer de mama, doença que é o tumor maligno mais comum entre as mulheres, com previsão de 66 mil novos casos anuais até 2022.

Apesar da maior disseminação de conhecimento sobre a doença e da inovação dos tratamentos, muitas pessoas ainda acreditam em informações equivocadas que podem contribuir para que as mulheres deixem de realizar a mamografia e descubram a doença ainda nos primeiros estágios.

Esse problema é antigo, mas ganhou em tempos de mídias sociais, onde muitas informações circulam sem a devida verificação dos fatos.

Confira a seguir os mitos mais comuns referentes ao diagnóstico e tratamento de pacientes com câncer e mama

1. O câncer de mama é uma doença exclusivamente feminina

Mito. Embora raro, o câncer de mama pode acometer homens. É diagnosticado 1 caso em homens para cada 100 em mulheres.

2. Não há relação entre o consumo de alimentos ultraprocessados e o câncer de mama

Mito. Há sim uma relação. Segundo a pesquisa francesa "Consumption of Ultra-processed Foods and Cancer Risk", a ingestão desse tipo de alimento se associou com o aumento global, em 12%, do risco do câncer de mama. É importante frisar, porém, que há ainda outros elementos causadores da doença.

2. Todas as mulheres com câncer de mama já têm histórico familiar

Mito. Segundo estudos, 95% das mulheres com a doença não têm fator genético, mas as células passam por mutação no decorrer da vida. Entretanto, as mulheres com histórico familiar devem realizar o acompanhamento porque o câncer pode aparecer mais cedo antes dos 40 anos.

3. A obesidade não influencia no aumento do risco de câncer de mama

Mito. A ligação entre obesidade e risco de câncer é clara. Pesquisas mostram que o excesso de gordura corporal aumenta o risco de vários tipos de câncer, incluindo câncer de mama.

4. Toda paciente que passa por quimioterapia vai ter queda de cabelo

Mito. Nem toda quimioterapia provoca queda de cabelo. Muitas pacientes passam pelo tratamento sem perder os fios. Esse efeito colateral depende do medicamento que a paciente precisa utilizar e de como será administrado.

5. Depois do tratamento, o cabelo não volta a crescer

Mito. Após o tratamento, o cabelo voltará a crescer. Pode acontecer do fio mudar um pouco suas características: ficar um pouco mais liso ou mais encaracolado, por exemplo.

6. O diagnóstico de câncer de mama metastático é uma sentença de morte

Mito. Hoje há um arsenal de tratamentos com resposta positiva, mesmo em casos de metástase. Esta resposta depende das características do tumor e das condições clínicas da paciente. E o objetivo tratamento deve ser além de melhor resposta, maior tempo e melhor qualidade de vida para a paciente.

Com informações de assessoria de imprensa.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul