Padre Vilson Groh é um dessas pessoas que só pensa em fazer o bem. Aos 63 anos, sua biografia é marcada por inúmeros gestos de boas ações, bons exemplos. Avesso a exposições, prefere sempre as ações. Sua casa na comunidade do Monte Serrat, na região do maciço do Morro da Cruz, é o exemplo de sua simplicidade. Suas roupas, expõe seu desprendimento. Padre Vilson saiu de Brusque, sua terra natal, aos 22 anos após estudar Filosofia. Veio para Florianópolis e começou a fazer Teologia. Logo iniciou um trabalho de evangelização no Morro do Mocotó, uma das áreas mais carentes da cidade. Suas ações extrapolaram fronteiras, chegando a Guiné Bissau, na África, onde desenvolveu projetos com crianças. No último domingo, em mais um de seus gestos de grandeza, organizou a distribuição de comida para a população carente no calçadão ao lado da Catedral Metropolitana, contando com a ajuda de um empresário e um advogado (que preferem não divulgar seus nomes). Antes de repassar a comida -  uma quentinha com arroz, carne e feijão -, chamou a todos para um agradecimento. “Antes de comer vamos orar”, disse, sendo prontamente atendido. Em segundos a fila se estendeu, com moradores de rua aparecendo de todas as partes (essa ação se repetirá todos os domingos). “As mulheres na frente”, determinou Padre Vilson, mais uma vez prontamente atendido. As 250 quentinhas foram entregues em minutos. O domingo, que se encerraria com a procissão dos Senhor Jesus dos Passos, começou com mais uma ação do bom de Padre Vilson – um homem que tem por missão repetir, diariamente, bons exemplos a todos.