O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) deflagrou, na manhã desta sexta-feira (4), a operação "Dinheiro Sujo", que cumpre 22 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal e em quatro estados (SP, MA, PR, SC). O MPDFT investiga irregularidades na área da saúde.

Em apoio à operação, o GAECO catarinense cumpriu quatro mandados - três no município de Videira e um em São José. Uma lavanderia supostamente envolvida no esquema tem atuação em Santa Catarina.

Os mandados foram deferidos pela Justiça Criminal de Brasília e decorrem de investigação do GAECO/MPDFT em que se apura contratações emergenciais irregulares de empresas de lavanderia pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES/DF).

As apurações revelaram que, mesmo havendo a contratação regular de lavanderia hospitalar, os membros do grupo criminoso forjaram situação de calamidade para justificar a dispensa do procedimento licitatório e direcionar a contratação de empresas integrantes do grupo.

 

Segundo informações do G1, as irregularidades investigadas ocorreram entre 2013 e 2016, em ao menos quatro unidades de saúde, envolvendo superfaturamento de contratos, pesquisas de preço fictícias durante a contratação e prestação de serviços insatisfatórios.

Ainda conforme reportagem do G1, os investigadores afirmam que os envolvidos mantinham os processos de licitação parados propositalmente, até que os hospitais ficassem em "posição insustentável" quanto à lavagem de roupas. Então, conforme o MP, direcionavam a contratação para três empresas do mesmo grupo econômico, de forma emergencial.

As irregularidades teriam ocorrido em quatro hospitais do Distrito Federal.