A determinação da Prefeitura de Jaraguá do Sul em restringir a entrega de medicamentos gratuitos nas duas farmácias básicas do município, nas 24 unidades de saúde e nos dois Pamas (Pronto Atendimento Médico Ambulatorial) apenas para receitas emitidas na rede pública, a partir de 14 de março, está levando parte da população a correr para esses locais, segundo a diretora de Atenção Básica da Secretaria da Saúde, Nádia Renate da Silva. “Algumas pessoas procuraram as unidades para fazer estoque, mas o sistema acusa quando o medicamento já foi entregue”, avisa. A diretora reforça que, para quem tem receitas de convênios e médicos particulares, existem outras duas opções: a Farmácia Popular do Brasil, na Reinoldo Rau, e os estabelecimentos privados com o selo “Aqui Tem Farmácia Popular”, onde o governo federal banca a totalidade ou parte do custo do medicamento. A medida está prevista em decreto federal. Medicamentos de uso contínuo, para hipertensão, diabetes e asma são gratuitos, independente se a receita é da rede pública ou particular, tanto na unidade da Farmácia Popular do Brasil como nas lojas conveniadas com a bandeira “Aqui tem Farmácia Popular”. As listas completas dos remédios estão no portal www.jaraguadosul.sc.gov.br. Nádia lembra que o município passou a universalizar a entrega de medicamentos em 2006, apesar de acarretar maior custo. Ela afirma que “dos R$ 5 milhões investidos em 2015 na distribuição de remédios, 30% foram destinados a pacientes sem receita do SUS (Sistema Único de Saúde). E para completar esse custo, a Câmara repassou R$ 1 milhão à Prefeitura”. O custo é dividido entre os governos federal, estadual e municipal. “Para 2016, a previsão é que o município invista em torno de R$ 61,957 mil por mês com medicamentos”, afirma. Remédios até 90% mais baratos Na unidade da Farmácia Popular do Brasil, anexa à unidade central de saúde da Rua Reinoldo Rau, mesmo se os medicamentos não são gratuitos os preços são até 90% mais baratos do que nos estabelecimentos comerciais (tabela disponível no site da Prefeitura). Para os remédios de uso contínuo, a entrega gratuita é feita mediante a apresentação de receita médica (data inferior a 120 dias), identidade e CPF do paciente. O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, e sábados, das 8h às 12h, (47) 3276-8913. “Alguns pacientes vão migrar para o SUS, e têm todo o direito, mas há a opção da Farmácia Popular do Brasil, que hoje tem uma média de 500 atendimentos por mês, a mesma média das duas unidades da Farmácia Básica”, observa a diretora de Atenção Básica. “Acredito que vai aumentar a demanda e agregar à loja, a partir de agora, porque muitos não sabem que também temos medicamentos gratuitos e com descontos”, diz a farmacêutica Francieli Cristina Rangheti, responsável por uma farmácia na Rua Marechal Floriano Peixoto.