Passa a circular a partir deste fim de semana em Jaraguá do Sul um ônibus 100% elétrico desenvolvido pela WEG em parceria com a UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina). O e-Bus vai estar disponível para passeios gratuitos de sexta-feira a domingo.

O cronograma prevê saídas às 9h, 13h30 e 16h30 do Parque Linear Via Verde em direção ao Parque de Inovação.

O veículo estava em Florianópolis transportando alunos da universidade desde 2017, mas com a pandemia de Covid-19 a circulação foi interrompida. Uma parceria entre a Prefeitura de Jaraguá do Sul, Fiesc, Senai, Instituto da Indústria Eggon João da Silva, WEG e Viação Canarinho foi firmada para trazer a tecnologia à cidade.

Foto Natália Trentini/OCP News

Segundo o diretor de mobilidade elétrica da WEG, Valter Knihs, existe um interesse crescente da comunidade em veículos elétricos e o objetivo é criar projetos que tornem a mobilidade urbana mais sustentável.

Sustentabilidade no horizonte

Os veículos elétricos ajudam a solucionar um dos grandes problemas da atualidade: a emissão de CO2 na atmosfera.

“Estamos nos preparando de forma antecipada para uma das maiores transformações da nossa sociedade”, diz. “É o século da sobrevivência do nosso planeta, ou vira agora, ou não vira mais.”

Diretor de mobilidade elétrica da WEG, Valter Knihs. Foto Natália Trentini/OCP News

A vinda do ônibus, explica o diretor da WEG, é a primeira fase de um projeto mais amplo. Inicialmente o veículo vai circular de forma experimental entre a Via Verde e o Parque de Inovação, sendo carregado pela rede de energia elétrica em uma estação na garagem da Canarinho.

Em uma segunda fase, se estuda a possibilidade de criação de uma fazenda de energia fotovoltaica ou de uma mini torre eólica no Instituto Eggon João da Silva, além da conversão de um ônibus de transporte urbano na própria cidade.

O diretor da WEG explica que o investimento de conversão de um veículo ultrapassa a casa dos R$ 300 mil. “Ela é cara tanto para veículos de passeio quanto para ônibus por conta da bateria”, pontua, mas complementa que esse valor de mercado vem caindo ano a ano.

Knihs ressalta que a longo prazo o investimento se paga: no geral, os veículos elétricos custam pelo menos cinco vezes menos para circular do que os movidos a combustível fóssil.

Foto Natália Trentini/OCP News

As baterias utilizadas são de Lithium, que tem uma vida útil de 20 anos, com redução de desempenho de 20% depois dos primeiros 10 anos de uso.

Entretanto, o diretor da WEG ressalta que 98% a 99% da bateria pode ser reciclada. “Existe toda uma estratégia, essa nova era não pode começar sem isso”, disse. “Não tem como ter uma bateria que provoca mal para o meio ambiente.”

Benefícios da tecnologia

O e-Bus leva em torno de 50 minutos para ser carregado e tem uma eficiência de cerca de 100 quilômetros. Alguns fatores podem reduzir essa autonomia: como calor elevado e subida de morros.

Na prática, é um ônibus normal. Mesmo para os leigos, se percebe a diferença pela ausência da fumaça característica da queima do diesel e da falta de ruídos do motor.

O gerente de manutenção da Canarinho, Claudio Lennert, foi o condutor do passeio inaugural com o e-Bus em Jaraguá do Sul na terça-feira (31) e destacou as vantagens do veículo também para quem está rotineiramente no volante.

Foto Natália Trentini/OCP News

O veículo é mais leve e não tem troca de marchas, a ausência do cheiro de combustível e ruído também são destacadas. Ele e os motoristas que irão conduzir o e-Bus passaram por treinamento especial. “Para mim isso é história”, comenta.

Integração e associativismo

O vice-presidente regional da Fiesc, Célio Bayer, ressaltou que a vinda do e-Bus a Jaraguá do Sul só foi possível pela integração das entidades que estão em sintonia para criar uma atmosfera de desenvolvimento.

O secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico e Inovação, Daniel de Arruda, destaca que a comunidade poderá vivenciar essa tecnologia e que isso poderá despertar interesse.

 

Foto Natália Trentini/OCP News