Nesta quinta-feira (19), voluntárias da pastoral carcerária e da pastoral da criança participaram de uma oficina para aprender a fazer artesanato em crochê com sacolas plásticas, em Joinville. As mulheres aprenderam como transformar a sacola em fio e fazer os pontos de crochê com o material, que pode ser transformado em bolsas, tapetes ou toalhas de decoração.

Segundo a Diocese de Joinville, o artesanato é uma forma de dar novo uso para as sacolas plásticas, um produto que interfere diretamente no meio ambiente. Embora muitas pessoas reutilizem as sacolas para o descarte de lixo, por exemplo, esses materiais retêm água, o que dificulta a biodegradação de resíduos orgânicos.

Aproximadamente 1,5 milhão de sacolinhas plásticas são distribuídas por hora no Brasil, segundo o Ministério do Meio Ambiente.

Aprendizado compartilhado

A coordenadora diocesana da Pastoral da Criança, Carla Cardoso, explica que o aprendizado da oficina será compartilhado com outras lideranças da pastoral. “A gente quer que esse artesanato possa ser desenvolvido por mulheres que não conseguem trabalhar fora e que precisam complementar a renda”, diz.

A Pastoral Carcerária, que desenvolve formações de artesanato com tear, planeja acrescentar a utilização das sacolas nessas atividades. "Por ano a gente faz aproximadamente 8 mil atendimentos pela pastoral. Em muitos casos são famílias que passam por necessidades após ter um parente que está no sistema prisional, outras que se sentem sozinhas e fazem por tratamento para depressão", explica Arlete Haas, agente administrativa da Pastoral Carcerária.

"Por isso, o artesanato é uma forma de complementar a renda e uma opção de atividade”, finaliza Arlete.

Com informações de assessoria de imprensa.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger