As obras de restauro do prédio do Museu Nacional da Imigração e Colonização de Joinville (MNIC) e do novo prédio anexo iniciam no dia 6 de janeiro de 2020.

O anúncio foi feito nesta segunda-feira (25), durante o ato de assinatura da Ordem de Serviço para as obras. O investimento será de R$ 2.654.051,00, com recursos do Fundo de Defesa dos Direitos Difusos (FDD) do Ministério da Justiça.

A contratação da obra é feita pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e os trabalhos serão executados pela empresa Strahl Engenharia, de Curitiba (PR), que venceu a licitação. O prazo de execução é de dez meses.

Durante o evento, a presidente do Iphan, Kátia Bogéa, anunciou também que o instituto está trabalhando para investir outros R$ 3 milhões na nova museografia deste patrimônio, o que vai proporcionar a modernização na estrutura de exposição e interação com o público durante a visitação das obras históricas.

“É uma alegria anunciar esses investimentos na restauração e ampliação deste museu, que é de ponta para a preservação da nossa identidade cultural”, disse Kátia.

O prefeito de Joinville, Udo Döhler, agradeceu o apoio do Iphan na recuperação deste patrimônio cultural de Joinville e do Brasil. “Tivemos uma excelente parceria com o Instituto, que nos presenteia com investimentos para permitir essa preservação”, elogiou

O Museu Nacional da Imigração e Colonização é o mais visitado do Estado de Santa Catarina e, mesmo com seu espaço expositivo fechado, mantém intensa atividade por meio do seu setor educativo. Em 2019, os projetos itinerantes do museu atenderam 5 mil pessoas.

As obras

As obras contemplam o restauro do palacete do Museu Nacional da Imigração e Colonização, com revisão estrutural, novos sistemas elétrico e hidrossanitário, realocação dos banheiros e sistema preventivo contra incêndio.

A acessibilidade também faz parte do projeto e inclui, além da adequação de banheiros e implantação de rampas, a instalação de um elevador na área externa do palacete que será conectado à edificação por meio de plataforma, preservando o patrimônio tombado.

Outra importante obra contemplada pelo projeto é a construção do anexo que ficará nos fundos do MNIC. O prédio terá dois pavimentos e cerca de 610 metros quadrados de área.

Construído em estilo contemporâneo, contrapondo a arquitetura histórica do casarão, o novo prédio terá um espaço expositivo, no pavimento inferior, onde estarão os meios de transporte que compõem o acervo do museu; e o pavimento superior será destinado à reserva técnica e à área administrativa.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger