O mês de abril é nacionalmente conhecido como o mês dos animais.

O 9º Batalhão de Polícia Militar (9º BPM) conta hoje com oito cães no canil da PM de Criciúma, que faz parte da Companhia de Patrulhamento Tático do Batalhão.

Os animais auxiliam os policiais militares em ocorrências que exigem faro, buscas e capturas e na guarda e proteção de eventos.

De acordo com o comandante da Companhia de Patrulhamento Tático do 9º BPM, 1º tenente PM Giovanni Fagundes dos Santos, o diferencial dos policiais que trabalham com os cães é que não basta só gostar de animal.

Canil já tem histórico de atuação em rebeliões em presídio, manifestações e grandes eventos/Fotos: Manuela Silva

“As condições em que os militares atuam com eles é diferente, até pelo odor que às vezes existe, a paciência que é preciso ter na hora dos treinamentos e atividades”, enfatiza.

Eles auxiliam em ocorrências que exigem faro, buscas e capturas e na guarda e proteção de eventos

“Trabalho no canil há sete anos e temos histórico de atuação em rebeliões em presídio, manifestações e grandes eventos”, conta o soldado PM Rodrigo Cardoso de Souza.

Cumplicidade

“Para que não haja conflito de liderança, durante o treinamento do cão, que pode levar até dois anos, somente eu posso mexer com o animal”, completa.

Atualmente o 9º BPM possui quatro militares cinotécnicos e três condutores.

Estes militares trabalham com uma escala diferenciada, que compreende em 18 horas em serviço e 54 horas de folga.

“Eles também são responsáveis pela manutenção dos canis que ficam os cães e os treinamentos específicos para que condutor e cão estejam treinados igualmente”, ressalta o tenente.

O comandante do 9º BPM, tenente-coronel PM Cristian Dimitri Andrade, destacou as multitarefas que o canil do Batalhão realiza.

“Esta área do Batalhão é indispensável, com o policiamento específico com cães”, ressalta.

Excelência

“Nossa equipe do K-9 é uma das melhores. Todos os militares que atuam neste segmento estão de parabéns pela produtividade que temos com os cães”, finaliza.

Os cães militares são escolhidos dias após o nascimento.

“Nós buscamos na ninhada, depois de analisar o comportamento do animal já nos primeiros dias de vida. Inclusive estamos analisando uma ninhada que nasceu há poucos dias”, comenta o 1º tenente Giovanni.

Cães militares são escolhidos dias após o nascimento

Após os oito anos de serviço, prevenção de crimes e demais ocorrências os cães se aposentam e passam para a reserva.

“Existem casos em que o animal é avaliado, se ele possui condições de continuar na ativa, mas cada caso é estudado de perto”, destaca o comandante do Patrulhamento Tático do 9º BPM.