Joinville ganha um novo espaço de cultura e arte, principalmente relacionadas à dança. É o Saltare Centro de Dança que começa suas atividades nesta terça-feira (17), junto com o início da programação do 36º Festival de Dança de Joinville.

Durante o Festival, o espaço vai ser sede de cursos, ensaios e lançamentos de eventos, no entanto, a programação do Centro continua mesmo ao término do Festival de Joinville. O objetivo é que ele funcione como espaço para cursos de dança, ensaios de grupos, incubadora para professores que querem abrir suas escolas, exposições de dança e disponibilização do acervo para consulta sobre a história do Festival de Dança.

Outro atrativo bem legal, é uma deliciosa cafeteria que foi montada no Centro que tem também uma loja multimarcas.

A escolha do nome Saltare para o Centro de Dança foi feita a partir de uma campanha online. Na língua latina, Saltare significa dançar, movimentar o corpo de forma rítmica.

Sobre o espaço

Patrimônio Histórico da cidade, o antigo prédio da Escola Professor Germano Timm estava desocupado há 12 anos. Foi em dezembro de 2017 que o cenário começou a mudar. O governo do Estado de Santa Catarina assinou um termo de permissão de uso do imóvel ao Instituto Festival de Dança. A limpeza do espaço começou em março de 2018. Em cerca de quatro meses, todo o prédio foi reformado e transformado no Saltare Centro de Dança.

Financiamento Coletivo

O Instituto Festival de Dança de Joinville é uma instituição sem fins lucrativos, portanto, tudo o que é recebido através de patrocínios é usado unicamente para a organização do Festival de Dança de Joinville. Desta forma, a construção do Saltare Centro de Dança, apesar de ser uma iniciativa do Insituto, depende da ajuda de toda a população.

Com cotas de R$ 200 a R$ 5.000, qualquer pessoa física ou jurídica pode ajudar na revitalização desse espaço e contribuir com a cultura do país. Quem é de fora de Joinville também pode contribuir com a causa. As doações são feitas diretamente pela internet, seja por boleto ou cartão de crédito.

*Com informações de assessoria

Quer receber as notícias no WhatsApp?