A partir deste ano, estudantes da Rede Municipal de Ensino de Florianópolis passaram a contar com o filé de peixe espada no cardápio das escolas. Segundo o Departamento de Alimentação Escolar da Secretaria de Educação do município, até o final de agosto foram servidos 625 Kg do peixe para 76 unidades escolares de ensino infantil e fundamental.

A definição de qual peixe seria o mais adequado para ser fornecido para as escolas passou por testes que avaliaram desde a perda de massa por cozimento à aprovação pelas crianças.

 

 

Esta é a primeira vez que a pesca artesanal foi incluída no Programa Nacional de Alimentação Escolar do município, cuja legislação prevê a compra de pelo menos 30% dos produtos da agricultura familiar, da qual a pesca faz parte. Os responsáveis pela entrega são os pescadores Tulio Lopes Gonçalves e Anna Gabriela Ferreira Pego, casal que tem um empreendimento no Pântano do Sul, bairro do sul de Florianópolis.

Para que essa venda fosse efetivada, os pescadores tiveram que atender todos os critérios exigidos para participar do Pnae, começando pela legalização da agroindústria pelo Serviço de Inspeção Municipal (SIM-Fpolis) e emissão da Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) jurídica para Microempreendedor Individual.

A extensionista social da Epagri em Florianópolis, nutricionista Cristina Ramos Callegari, explica que esses requisitos foram atendidos após um extenso trabalho desenvolvido pela Empresa nos anos anteriores para viabilizar a comercialização de pescado para mercados institucionais como Pnae e PAA (Programa de Aquisição de Alimentos), que prevê a profissionalização dos pescadores.