No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás somente do câncer de pele), representando 29% dos diagnósticos da doença no país. Além de ser o segundo que mais mata o público masculino. Esse tipo de câncer pode ser considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de 6 em cada 10 casos são diagnosticados em pacientes com mais de 65 anos.

Porém, esse não foi o caso do engenheiro e escritor, Marcelo Lamas, que foi diagnosticado aos 45 anos com câncer de próstata. Ele já tinha histórico desse tipo de doença na família. Em 2013, o pai do engenheiro descobriu que tinha câncer de próstata e logo em seguida o tio de Marcelo também foi diagnosticado com a mesma doença.

"Foi um atrás do outro. Minha mãe me ligou dizendo que meu pai tinha feito o exame e que tinha indicado a doença. Depois dessa notícia eu comecei a fazer um acompanhamento de perto, porque pessoas que não tem histórico da doença tem 20% de chance de ter, e pessoas que tem em primeiro grau tem o dobro de chance, e no meu caso que tinha duas pessoas na família com câncer, as chances eram muito grandes", disse o escritor.

Desde antes dos 40 anos Marcelo já fazia o acompanhamento médico, mas em janeiro de 2020 um dos exames indicou uma alteração. Então, o médico solicitou outros exames, entre eles o exame de toque e de imagem, porém não foram suficientes para concluir que ele estava com câncer. O escritor precisou ser submetido a uma biopsia, que constatou a doença.

Foto: Arquivo Pessoal

"Por conta da pandemia não estavam fazendo o exame de biopsia. Aguardei por oito meses e em outubro de 2020 retornei ao médico com o exame pronto", relembra.

Marcelo conta que quando recebeu o diagnóstico, o médico teve uma longa conversa com o ele, pois essa não é uma notícia fácil de se dar e nem de se receber.

"Eu recebi a notícia no dia 31 de outubro, quando a consulta demorou uma hora. O médico foi muito habilidoso, até porque essa não é uma notícia fácil de dar ao paciente. Ele fez uma retrospectiva de todo o meu acompanhamento até o momento que apareceu a alteração no exame, indicando o câncer de próstata", diz Marcelo.

Antes de fazer a cirurgia, o que ajudou Marcelo a continuar lutando e não desistir, foi um documentário sobre o Outubro Rosa, que passava a mensagem de que "Câncer não é sinônimo de morte". Foi nessa frase que o escritor se confortou para enfrentar esse momento tão delicado que passou.

Em janeiro de 2021, Marcelo realizou o procedimento cirúrgico em São Paulo acompanhado da esposa, ele foi submetido a uma cirurgia robótica, e por ser menos invasiva, e em duas semanas já estava de volta à sua rotina.

Foto: Arquivo Pessoal Marcelo Lamas

Novembro azul

O lançamento oficial da campanha do Novembro Azul da Rede Municipal de Saúde do Homem acontece nesta sexta-feira (5) na sede da entidade. A campanha busca conscientizar a respeito da necessidade da prevenção e diagnóstico do câncer de próstata. Mas quando se trata da saúde do homem o diagnóstico fica ainda mais complicado. De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia, 80% deste público deixa de fazer os exames para detectar a doença por preconceito, o que atrasa o diagnóstico e agrava a situação.

A realização do exame de toque ainda é um tabu entre os homens. De acordo com informações do Instituto Nacional de Câncer (Inca), somente em 2019, 15.983 pessoas morreram com a doença. O tabu pode matar.

"Tem tanto tabu que eu nunca ouvi pessoas da minha família que são filhos desses meus outros tios falarem sobre isso, ou fazer algum exame, ir atrás disso", conta Marcelo Lamas.

Ainda existe uma resistência cultural muito grande do público masculino em relação a este assunto, por conta disso que a Rede Municipal da Saúde do Homem de Jaraguá do Sul busca conscientizar os homens não só no Novembro Azul, mas como o ano inteiro.

"Temos que quebrar esse tabu. As mulheres começam jovens a fazer toda a prevenção e os homens não, por conta do preconceito que existe na sociedade" destaca o presidente da entidade Arlindo Rincos.

Exames

No mês mundial de combate ao câncer de próstata a entidade organiza uma programação especial. A Rede Municipal da Saúde do Homem disponibilizara durante o mês de novembro o exame PSA com um valor mais acessível para a comunidade. Este exame é utilizado principalmente para o rastreamento do câncer de próstata em homens assintomáticos. Normalmente é indicado pelo menos um vez ao ano a partir dos 45 anos de idade.

"Estamos trabalhando junto com os laboratórios de Jaraguá do Sul para disponibilizarmos a toda a comunidade o exame PSA no valor de R$25,00", diz Arlindo Rincos.

A Onco Clínica de Jaraguá do Sul também estará ajudando o público masculino neste mês. Todas as quartas-feiras e sextas-feiras durante o período da manhã acontecerá a coleta de sangue e exame médico de forma gratuita. Para agendar o horário basta ligar no telefone (47) 3275-1640 ou pelo WhatsApp (47) 98455-0668.

Rede Municipal da Saúde do Homem

Em novembro do ano passado Jaraguá do Sul se tornou sede da Rede Nacional e Municipal da Saúde do Homem, a entidade fica no antigo depósito da empresa Breithaupt, em frente ao supermercado Giassi, na rua Expedicionário Gumercindo da Silva, 311 e caminha aos poucos para auxiliar os homens desde o momento do diagnóstico do câncer de próstata até o tratamento.

Devido a pandemia do coronavírus, a entidade não conseguiu realizar os projetos desenvolvidos para o ano de 2020, então somente agora a Rede do Homem está tirando os eventos do papel e colocando em prática, como a primeira feijoada da corporação que aconteceu em outubro e teve o intuito de arrecadar fundos para melhorias na sede da entidade.

Foto: Isabelle Stringari Ribeiro