Começou a funcionar ontem na delegacia da comarca de Jaraguá do Sul uma nova ferramenta tecnológica que vai garantir mais agilidade e transparência aos procedimentos da Polícia Civil. A sala de audiências construída no local abriga um computador munido de um software para captação de som e imagem nos depoimentos coletados nas delegacias. A ferramenta, que já está sendo usada em Santa Catarina para os procedimentos de flagrante, deve diminuir em 75% o tempo para coleta de depoimentos. A apresentação do espaço foi feita pelo delegado geral adjunto, Marcos Flávio Ghizoni Júnior, além de delegados regionais, representantes do Ministério Público e Governo do Estado. Estava programado que a inauguração oficial ocorresse durante a manhã com a presença do secretário de Segurança Pública de Santa Catarina, César Grubba, porém, devido a tragédia com os jogadores da Chapecoense, o governador Raimundo Colombo cancelou todos os eventos oficiais. O delegado regional Adriano Spolaor destacou a importância da implantação do projeto. “Esse é um grande avanço, pois trará transparência e celeridade no processo. Estamos muito felizes por ter essa inovação em Jaraguá do Sul”, destacou Spolaor. O investimento para ter a sala estruturada foi de cerca de R$ 7 mil. A principal mudança com as ferramentas é que os depoimentos, que antes eram registrados em papel, passam a ser coletados em som e vídeo, e os arquivos são anexados ao processo. Em média, o procedimento normal exigia cerca de duas horas, tempo em que os policiais envolvidos nas ocorrências ficavam empenhados na delegacia. Com a alteração, em até meia hora os procedimentos podem ser resolvidos. É menos tempo de polícia na delegacia e mais tempo com viatura na rua, segundo Spolaor. Transparência para as investigações Apenas a comarca de Jaraguá do Sul conta com a ferramenta na região, porém, a expectativa é de que em breve todas delegacias do estado sejam contempladas. Em horário de expediente, o procedimento fora de Jaraguá do Sul continua como de costume, com termos escritos, sendo que em períodos de plantão, os flagrantes são caminhados para o município e passam pelo novo procedimento. Segundo as autoridades presentes no ato, além de dar celeridade, as gravações ajudaram os juízes e promotores em avaliações criminais. Com o vídeo, é possível analisar as características dos depoimentos, o que também dá mais transparência à atuação policial. “É muita mais fácil observar características da pessoa entrevistada. No caso de estar bêbada é algo que se percebe pela própria fala no microfone, coisa que antes, no papel, não tinha como ser descrito”, afirmou Ghizoni Júnior.