O pedido de exoneração e consequente saída de médicos da rede municipal de saúde de Jaraguá do Sul deixou as unidades básicas com defasagem de clínicos gerais desde o fim de 2018.

Apesar da adoção dos protocolos de enfermagem, que têm garantido maior agilidade nos atendimentos, a contratação de novos profissionais é fundamental para atender a grande demanda do município. Para isso, foi realizado processo seletivo no dia 27 de janeiro.

No entanto, apesar do processo inicial já ter ocorrido, não há previsão para o chamamento dos médicos, segundo informa a supervisora das equipes técnicas dos postos de saúde, Priscila Steffani.

De acordo com ela, não há data para que os profissionais comecem a ser convocados e deem início ao trabalho.

“Estamos adequando os atendimentos, organizando mutirões, realizando atendimento em horário estendido na maioria das unidades para que possamos atender a demanda que está reprimida. Além disso, os protocolos de enfermagem também fazem esse papel”, revela.

Conforme explicou, ainda não há um levantamento que indique para quais unidades os profissionais serão direcionados, e os médicos devem ser encaminhados às unidades de acordo com a demanda apresentada.

“Ainda estamos fazendo os mutirões, que acontecem em fevereiro e março. Depois disso, vamos fazer o levantamento para ter uma noção real de onde precisamos mais e assim saber quais são as unidades prioritárias”, comenta.

A supervisora destaca ainda que os mutirões devem diminuir a fila de espera, assim como já vem acontecendo com os protocolos de enfermagem. “No fim de março, já teremos essas avaliações e definições e provavelmente em abril os profissionais devem estar atendendo”, complementa.

Investimento de R$ 1,3 milhão

A previsão é de que cinco profissionais sejam chamados. A contratação já foi, inclusive, anunciada pela Secretaria de Saúde, que afirmou que os médicos devem ser oficialmente integrados em março, com um valor destinado de pouco menos de R$ 1,3 milhão de investimento, considerando salários e encargos. O salário, de acordo com a pasta, é de mais de R$ 19,3 mil.

“Estamos aguardando os trâmites da empresa que realizou o processo seletivo para então poder chamá-los. Enquanto isso, com o uso dos protocolos de enfermagem, estamos conseguindo agilizar o atendimento tanto para o munícipe quanto para o atendimento médico em si. Com isso, estamos conseguindo dar conta da maioria da demanda”, finaliza Priscila.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?