Uma servidora pública foi demitida após apresentar uma exame de gravidez falso para se enquadrar no grupo de risco da Covid-19. A exoneração da mulher foi assinada pelo presidente de Tribunal de Justiça de Rondônia, onde ela trabalhava.

A fraude foi descoberta no fim do ano passado. Quando foram verificar o exame de gravidez junto de um laboratório, o Judiciário constatou que o documento havia sido adulterado e o resultado era negativo.

Diante do ocorrido, o TJ/RO instaurou um procedimento administrativo disciplinar e iniciou a apuração de uma possível irregularidade cometida pela servidora.

Segundo o Tribunal de Justiça, a mulher apresentou um teste de gravidez pois queria ser incluída no grupo de risco e, ocasionalmente, ser incluída no grupo de risco para a vacinação contra a Covid-19.

Somente depois de meses de apuração, o poder Judiciário decidiu aplicar a penalidade na funcionária, e demitiu a servidora, que não teve o cargo e nem remuneração divulgados.

*Com informações de G1.