Crianças de até cinco anos e gestantes são os grupos com a menor cobertura da vacina contra a gripe em Santa Catarina. Mesmo com a mobilização em torno da realização do Dia D, no último sábado (12), seguindo a Secretaria do Estado da Saúde, menos de 50% das crianças e gestantes de Santa Catarina fizeram a imunização.

De acordo com o balanço parcial divulgado pela Dive (Diretoria de Vigilância Epidemiológica), gestantes, com 34%, e crianças de seis meses a cinco anos de idade, com 37,4% foram os que menos procuraram a vacinação até o momento.

Em Santa Catarina, os grupos prioritários que mais se vacinaram foram os idosos (68,74%) e as puérperas 60%, ou seja, as mães que deram a luz há menos de 45 dias. A meta do Ministério da Saúde é alcançar uma cobertura vacinal de 90% nos grupos prioritários, que totalizam 1.844.225 de pessoas em Santa Catarina.

“O balanço até o momento é positivo, o que demonstra que a população pertencente aos grupos prioritários está procurando se vacinar de forma antecipada. Mas alertamos que a baixa procura por gestantes e crianças está preocupante”, informa Vanessa Vieira da Silva, gerente de Vigilância das Doenças Imunopreveníveis, Imunização e DTHA da Dive. “É importante lembrar que a campanha continua até o dia 1º de junho”, finaliza Vanessa.

A vacinação é apenas um dos pilares do tripé de combate a gripe. Os outros são a prevenção e o tratamento. A prevenção é adotar as medidas de higiene e da chamada etiqueta da tosse, como lavar as mãos várias vezes ao dia, evitar locais fechados e com aglomerações de pessoas, cobrir o rosto com lenço descartável ou com o antebraço ao tossir e espirrar e manter os ambientes ventilados. O tratamento deve ser iniciado assim que forem identificados os primeiros sintomas da gripe, que são febre alta, tosse seca, e dores pelo corpo. Quando não tratada a tempo, a gripe pode evoluir para formas graves, como pneumonia, e levar à hospitalização e ao óbito.

No site www.gripe.sc.gov.br, além de informações sobre a doença, as formas de prevenção e tratamento, há a lista completa das salas de vacina existentes em Santa Catarina, tanto da rede pública como das unidades privadas credenciadas pela Dive para comercializar as vacinas.

*Com informações da Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Joinville