O plantio de quatro mudas nativas de pau-brasil, que tem o nome científico de caesalpinea echinatta, ocorre desde a manhã desta quarta-feira (23) no Calçadão da Marechal Deodoro da Fonseca, no trecho próximo aos trilhos do trem. A ação ocorre em substituição aos velhos exemplares da espécie exótica ficus benjamina, danificadas e retiradas após os temporais registrados nos últimos meses. Durante toda a operação, o trânsito da via não será interrompido. Os trabalhos de instalação das mudas, com cerca de dois metros de altura, mobilizou seis servidores da Secretaria de Obras e Serviços Públicos e devem ser concluídos na quinta (24). A preparação incluiu colocação de terra com adubo orgânico e químico, à base de NPK (sódio, potássio e fósforo). O passo seguinte será a instalação de caixaria de concreto, para impedir que as raízes levantem o pavimento tipo “paver” e atinja a fiação subterrânea (telefônica e de TV a cabo). A árvore nativa, símbolo do Brasil e que originou o nome do país, era uma espécie bastante encontrada na Mata Atlântica até o século 16. Pela característica de madeira pesada, de alta qualidade, e por conter um extrato que gera uma tinta vermelha, é muito usada na fabricação de instrumentos musicais, como violinos, harpas e violas. Hoje, em função da baixa presença de pau-brasil na Mata Atlântica, a árvore é protegida por lei federal, que considera crime o corte ilegal dessa espécie. O Dia Nacional do Pau-brasil é comemorado em 3 de maio.