Buracos e desníveis são alvo de reclamações dos motoristas | Foto: Eduardo Montecino/OCP News
Buracos e desníveis são alvo de reclamações dos motoristas | Foto: Eduardo Montecino/OCP News

A linha férrea que corta Jaraguá do Sul é motivo de inúmeras reclamações e, uma das mais frequentes é que, além de impedir o fluxo de trânsito, falta manutenção nas passagens de nível.

Os motoristas não poupam críticas ao estado dos trilhos que cortam as vias do município e um dos alvos principais fica na região central, próximo ao Supermercado Angeloni.

Buracos, desníveis e até mesmo a descontinuidade do trilho são apontados pelos jaraguaenses como problemas graves que podem gerar acidentes e prejuízos significativos.

Para a supervisora de caixa Eliane de Fátima Fagundes, de 43 anos, a situação é perigosa para quem trafega pelo local.

“É ruim para todo mundo, até para quem anda a pé, pode virar, cair, se machucar. Para quem anda de carro ou moto, dá um solavanco, tem um buraco que pode estourar um pneu e gerar um acidente ainda mais grave”, analisa.

Ela sugere algumas ações que possam minimizar o impacto causado pela linha férrea. “Eles poderiam fazer uma parceria, a prefeitura com a Rumo, talvez um preenchimento ou asfalto. O fundamental é fazer alguma coisa antes que aconteça algo grave”, destaca.

Eliane  enfatiza que o ponto próximo ao supermercado está sem manutenção. "Está bem abandonado. Eu passo por aqui há dois anos para o trabalho e sempre esteve assim”, complementa.

O aposentado Olivio Ramos, de 60 anos, diz que a situação persiste há anos. “Eu passo por aqui praticamente todos os dias e me sinto envergonhado com essa situação. Isso é o que eles chamam de engenharia? Tudo mal colocado, malfeito”, indaga.

A solução, segundo ele, além de intensificar a fiscalização, é melhorar a qualidade do asfalto e dos trilhos.

“Faz esse asfalto bem feito e encosta mais os trilhos, porque para acontecer um acidente mais grave, não custa. Olha esses buracos, o carro reduz e o de trás pode bater. Isso sem contar o ciclista que pode cair com a roda prendendo nesse trilho e ainda ser atropelado”, reclama.

Obras já estão previstas

O secretário de Obras do município, Onésimo José Sell, ressalta que a manutenção é responsabilidade da empresa Rumo Logística em pelo menos 10 metros de cada lado dos trilhos. Além disso, embora a secretaria realize obras de manutenção preventiva quando há alguma erosão, a empresa deve manter a infraestrutura em condições.

Apesar disso, Sell afirma que há obras previstas para a região.

“O fiscal vai verificar, mas naquela região já temos algo programado, estamos trabalhando para fazer um recape por meio da licitação da operação tapa-buraco. A assinatura do contrato será na próxima semana e depois disso vamos mapear os locais pontuais”, explica o secretário.

A empresa Rumo Logística, operadora ferroviária que administra o trecho, afirma em nota que a instalação de contratrilhos nas passagens de nível que ainda não possuem deve ser realizada em março.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?