Diagnosticado em 2015 com Linfoma de Hodgkin, um tipo de câncer que se origina no sistema linfático, Marcus Augusto Oliveira Silva enfrenta uma verdadeira luta por sua sobrevivência.

Natural de Rio Negro (PR), mas radicado em Joinville, o homem de 36 anos já passou por muitas linhas de tratamento, transplante autólogo (infusão das células de sua própria medula), internações, passagens pela UTI e diversos outros procedimentos nesse período.

Mas agora, é necessário realizar um transplante alogênico, ou seja, um transplante de medula óssea, que só pode ser feito com um doador compatível.

Em 2017, foi feito uma coleta de medula e chegou a ser encontrado um doador compatível, mas a médica ressaltou que o ideal seria que a doação viesse de um parente.

Porém, a grande questão é que Marcus foi adotado e nunca teve contato com os pais biológicos, que o deixaram em uma maternidade de sua cidade natal aos cuidados de freiras.

O paranaense descobriu que a maternidade não existe mais e todas as informações, registros e documentos agora pertencem ao Hospital Bom Jesus.

Diante disso, ele buscou um advogado e entrou com um processo para solicitar o acesso de um livro com registros daquela época, que pode ajudar na busca pelo pai, mãe ou irmãos biológicos.

Juntamente com essa batalha pela vida, Marcus agora também pede ajuda de pessoas na procura dos familiares. Qualquer informação pode ser enviada pelo whatsapp no número (47) 99645-2222.

“Preciso de alguma informação para encontrar meu pai, mãe ou irmãos biológicos. Quero realizar esse transplante e seguir minha vida. Creio que em nome de Jesus acharei esse familiar”, disse.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul