A 14ª edição da tradicional Missa de Abertura da Safra da Tainha acontece nesta quarta-feira (01), no feriado do Dia do Trabalhador. O ato de fé que celebra a cultura local e marca a abertura oficial da safra, é considerado o mais significativo para o público envolvido com a pesca no estado.

A celebração foi realizada no Rancho de Pesca do Seu Getúlio, na Praia do Campeche, local adaptado para abrigar projetos culturais e que sedia o encontro ao longo das últimas duas décadas, reunindo o público formado por pescadores, familiares e comunidade como um todo, além das diversas personalidades e autoridades.

Missa foi realizada no Rancho do Seu Getúlio na manhã desta quarta-feira (01) | Foto Divulgação

 

Este é o segundo ano sem a presença do pescador e idealizador do evento, Getúlio Manoel Inácio, falecido em janeiro de 2018. Desde então a Associação de Pescadores Artesanais do Campeche, sob a liderança de Pedro Aparício Inácio, assumiu a organização junto à família.

Durante o evento, os pescadores terão seu trabalho de pesca artesanal reconhecidos como Patrimônio do Estado. Um reconhecimento para a cultura local.

A procissão pelas areias do Campeche é uma tradição do evento | Foto Divulgação

O certificado de Patrimônio Cultural de Santa Catarina concedido à Pesca Artesanal da Tainha no Campeche, outorgado pela Fundação Catarinense de Cultura, é resultado da solicitação e da pesquisa realizadas pela Associação de Pescadores Artesanais do Campeche e pelo IFSC - Campus Florianópolis-Continente, entre dezembro de 2017 e novembro de 2018.

Moradores aproveitaram para protestar contra a instalação de um emissário submarino da Casan | Foto Divulgação

Atividades buscam fortalecimento da cultura

Ao longo do dia serão realizadas diversas atividades que buscam o resgate e o fortalecimento da cultura local e principalmente o envolvimento de crianças, jovens e adultos de toda a cidade.

Participam da programação do evento com atividades paralelas, os projetos Resex e Tekoá Pirá de turismo de base comunitária, a Fundação Franklin Cascaes que realiza um núcleo cultural em torno da pesca, o Projeto Floripa Limpa com atividades voltadas a conscientização da população sobre a importância da conservação e preservação das praias e dos mares, além do Projeto TAMAR que realizará a soltura de uma tartaruga marinha reabilitada.

Safra da tainha vai de maio a julho no litoral de Santa Catarina |Foto Édio Hélio Ramos/Arquivo/Especial OCPNews

Programação

11h - Abertura oficial da temporada de pesca da tainha pelo Presidente da Federação dos Pescadores de Santa Catarina
11h20 - Entrega do Certificado de Registro da Pesca  Artesanal da Tainha no Campeche como Patrimônio Cultural de Santa Catarina pelo Sr Rodrigo Rosa, da Fundação Catarinense de Cultura - FCC, à Associação de Pescadores Artesanais do Campeche.
12h - Apresentação de composições musicais sobre a pesca, do Sr. Elenir Inácio.
14h - Atrações recreativas e culturais (Corrida de Canoa / Cabo de Guerra / Capoeira)
15h - Exposição e soltura de tartaruga marinha do Projeto TAMAR
16h - Boi de Mamão do Campeche
18h - Encerramento

Entenda a importância da pesca

A Pesca da Tainha, patrimônio histórico, cultural e artístico de Santa Catarina,
é realizada artesanalmente entre os meses de maio e julho em todo o litoral catarinense, movimentando as comunidades, a economia regional e a gastronomia.
O chamado “vigia”, responsável por avistar os cardumes do alto dos costões, sinaliza para os companheiros que aguardam na areia da praia o momento exato para jogar as redes e capturar com êxito os grandes cardumes que se aproximam da praia.

Cada um tem uma função específica na pesca | Foto Divulgação

Saiba as funções de cada um

  • Patrão – distribui as funções no rancho de pesca, escolhe a tripulação e comanda o leme da embarcação;
  • Chumbeireiro – responsável por jogar a rede ao mar da maneira correta para a captura do pescado;
  • Remeiro – são os remadores da embarcação, que são divididos em ré, contra ré, contra proa e proa;
  • Vigia – tem a função de observar a chegada do cardume e avisar os pescadores para colocar a embarcação no mar;
  • Cozinheiro – são os responsáveis pela alimentação dos pescadores, desde o café da manhã até o almoço;
  • Ajudante – são as pessoas que auxiliam a retirada da rede do mar.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?