Na tarde deste sábado (28), Joinville recebeu a visita do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. A agenda teve a participação de integrantes do ministério, do senador Esperidião Amin, de deputados e de vereadores.

O prefeito Adriano Silva e a vice Rejane Gambin, além dos secretários da Saúde do Estado, Aldo Baptista Neto, e do Município, Jean Rodrigues da Silva, recepcionaram a comitiva.

A passagem do ministro pela cidade começou com uma reunião no gabinete do prefeito. Na sequência, ambos falaram com a imprensa.

“O Ministério da Saúde, junto com a Secretaria Estadual e a Secretaria Municipal da Saúde integram o Sistema Único de Saúde, que tem gestão tripartite e nós compartilhamos essas ações. Joinville ter serviços de referência em várias áreas, por isso estou conhecendo a cidade”, detalhou o ministro.

“Entender a dinâmica do município é fundamental para que reformas estruturantes na saúde como um todo sejam discutidas e os municípios possam participar com os seus exemplos”, disse o prefeito.

A comitiva também esteve no Hospital Municipal São José, onde visitou o Ambulatório de Oncologia e Unidade de Internação de Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Na Oncologia, o ministro conheceu o espaço que vai abrigar os dois aceleradores lineares que vão oferecer tratamento com técnicas mais modernas aos pacientes. Em seguida, obteve mais detalhes do serviço de referência para o atendimento do AVC do São José, premiado internacionalmente.

“Aqui em Joinville, já existe um trabalho pioneiro, que considera o chamado valor em saúde, isso é o futuro do sistema de saúde do Brasil”, afirmou Queiroga.

O último compromisso em Joinville foi a visita ao Hospital Infantil Dr. Jeser Amarante Faria. No local, a comitiva visitou a Unidade de Saúde Mental, referência para atendimentos psiquiátricos, e também a UTI Cirúrgica, que atende os pacientes da cirurgia cardíaca pediátrica de todo o estado.

“Nesse hospital, há parceria público-privada, um modelo que tem o objetivo de melhorar a eficiência. Na visita, constatei que é possível ampliar o serviço de cirurgia cardíaca com a instalação da cardiologia intervencionista. Vamos juntos trabalhar para que possamos concretizar esse sonho e trazer uma nova esperança para a população de Joinville e de Santa Catarina”, assegurou o ministro.

Ofício com demandas de Joinville

Durante a reunião realizada na sede da Prefeitura, o ministro Marcelo Queiroga recebeu ofício assinado pelo prefeito Adriano Silva, pelo secretário Jean Rodrigues da Silva e pelo diretor-executivo Andrei Kolaceke, solicitando intervenção do Ministério da Saúde em demandas importantes para Joinville.

“Aproveitamos a visita do ministro Queiroga para oficializar as principais demandas de Joinville junto ao Ministério da Saúde. Investimos mais de 40% do total do nosso orçamento em saúde e precisamos de apoio do Governo Federal para evoluir no atendimento dos joinvilenses”, destaca o prefeito.

O primeiro pedido foi o reajuste da Tabela do Sistema Único de Saúde (SUS), utilizada para o custeio de procedimentos, medicamentos, órteses e próteses, contemplando a reposição inflacionária do período. A tabela foi atualizada pela última vez em 2008. Neste período, o prejuízo calculado para Joinville foi superior a R$ 617 milhões.

Também foi solicitado o aumento no valor do custeio das Equipes de Saúde da Família, com o objetivo de proporcionar minimamente o pagamento dos profissionais envolvidos nos atendimentos. Para cada equipe, o Ministério da Saúde investe apenas R$ 17,7 mil reais, enquanto a Prefeitura de Joinville precisa arcar com o valor de R$ 74,1 mil.

O ofício também apela para que o Governo Federal incentive e estimule a formação de médicos pediatras, especialmente para que eles atuem no suporte dos atendimentos das unidades de urgência ou emergência do SUS.

Por fim, a Prefeitura de Joinville solicitou apoio junto à Fundação Oswaldo Cruz para que a cidade obtenha autorização para utilizar o método Wolbachia, que colabora com o controle do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue.