Em novembro, é celebrado o 15º Mês da Consciência Negra de Joinville. A abertura ocorre na sexta-feira (28), às 14h, na Sala Agrippina Vaganova da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil.

Apresentam-se o Grupo Pegada Nagô, Cia de Dança Finesse Black da Escola Olodum Sul, Kokode e Banda, Percussionista Pedro e Projeto Passista do Futuro.

 

 

No dia de novembro, às 19h, na Câmara de Vereadores de Joinville, será celebrado o Ipadê, ritual para festejar a vida dos ancestrais que possuem importância na história. O evento prestará homenagens a pessoas e instituições que tiveram destaque na luta pela cultura afro-brasileira em Joinville.

De 7 a 11 de novembro, serão realizadas contações de histórias e oficinas de dança afro em escolas e CEIs da rede pública, no período matutino e vespertino.

As ações ocorrem nas escolas municipais Amador Aguiar, Prefeito Luiz Gomes, João de Oliveira, Professor Mariano Costa, Monsenhor Sebastião Scarzello, Edgar Monteiro Castanheira e Escola Estadual Professor João Martins Veras.

Os CEIs municipais são o Meu Pequeno Mundo, Maria Laura Cardoso Eleotério, Espaço da Criança e Zilda Arns Neumann.

O Dia da Umbanda é comemorado no dia 15 de novembro. A data será marcada em Joinville por um encontro de agremiações religiosas afro-brasileiras, no Parque da Cidade, às 15h.

Outro evento desse dia é o Toque de Caboclo, às 19h, no Yle Ashe de Omolu (Estrada do Quiriri, s/n). No ato litúrgico, serão entoados toques de louvor aos Caboclos, entidades da Umbanda ligadas à terra, à fartura e à cura.

Dia 16 de novembro, às 19h, na Escola Estadual Professor Germano Timm, ocorre oficina e espetáculo de dança com As Sambadeiras.

O grupo também realizará ações no dia 17, na Escola Estadual João Martins Veras, e dia 18/11 na Escola Estadual Marli Maria de Souza (nesta última com a participação da Escola de Samba Diversidade).

A tradicional Homenagem às Pessoas Pretas, Descendentes Afro, Sepultados no Cemitério dos Imigrantes será dia 20, às 10h, no Cemitério dos Imigrantes. No pátio ao lado da Casa da Memória, serão entoadas cantigas em um ritual de homenagem.

Também no dia 20, às 15h, ocorre na Praça da Bandeira a Lavagem do Monumento dos Imigrantes. O ritual é uma manifestação religiosa ecumênica, inspirada na célebre lavagem das Escadarias do Bonfim, em Salvador (BA). Estão programadas apresentações da Escola de Samba Diversidade, Capoeira Mestre Melância, Afoxé Omilodê, As Sambadeiras e projeto Passista do Futuro.

Para fechar a programação do dia 20, às 19h, na Yelo Stage, é o Show da Consciência Negra, com o lançamento dos sambas enredos do Carnaval 2023.

O 15º Mês da Consciência Negra de Joinville será encerrado dia 25, às 18h, com a Feijoada com Ashe, na Casa da Vó Joaquina, que fica na rua Erivelton Martins, 669, bairro Ulysses Guimarães.

O Mês da Consciência Negra em Joinville é uma realização da Casa da Vó Joaquina, com apoio da Prefeitura de Joinville, por meio do Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial (Compir), e da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil.