O Instituto do Meio Ambiente (IMA) terá uma nova sede em Florianópolis. Na manhã desta segunda-feira, 21, o governador Eduardo Pinho Moreira, acompanhado do secretário da Segurança Pública, Alceu de Oliveira Pinto Júnior, visitou o local, localizado no bairro João Paulo. Com a ocupação do novo espaço, o Governo do Estado fará uma economia anual de R$ 2,4 milhões, ou seja, R$ 200 mil mensais, valores hoje pagos ao aluguel das salas ocupadas pela IMA no centro da cidade.

Quer receber notícias no WhatsApp? Clique aqui

O local inicialmente iria abrigar o Instituto de Criminalística, do Instituto Geral de Pericias (IGP), mas por meio de uma parceria entre os órgãos o IMA ficará no local e o IGP receberá uma nova sede em Palhoça. A visita também foi acompanhada pelo presidente do IMA, Alexandre Waltrick Rates e pelo diretor geral do IGP, Giovani Eduardo Adriano.

“É uma parceria e um ganho importante. Vai ser mais uma economia para Santa Catarina. Vamos fazer uma permuta. As novas sedes representam um salto de qualidade para os órgãos e para a SSP”, disse o governador.

A mudança

O presidente Waltrick Rates explicou que até o último ano, a Fatma, como era chamado o IMA, estava instalada em um prédio histórico no centro de Florianópolis, mas como apresentou problemas estruturais foi necessária a desocupação e alugado um novo espaço.

“Agora, não podíamos perder esta oportunidade de ter uma sede própria. É um prédio novo, que fica localizado próximo a uma unidade de preservação. Além do mais, saímos do centro e faremos economia. Haverá transtornos, como deslocamento dos servidores, mas tudo será adequado. Até dezembro ou meados do próximo ano o Instituto já deve estar em funcionamento aqui”.

O diretor geral do IGP informou que o órgão possui quatro institutos e está instalado, hoje, em um prédio de mais de cinco mil metros quadrados, no bairro Itacorubi. Assim, não haveria possibilidade de deslocar para a estrutura do bairro João Paulo por ser um local de difícil expansão, já que está localizado próximo de uma área de preservação permanente.

* Com informações da Secretaria de Estado de Comunicação