Os termômetros despencaram no início desta semana em todo o país. Em Jaraguá do Sul não foi diferente. Quando o relógio marcava 7 horas, os termômetros mostravam 10° e a previsão é de que as baixas temperaturas continuem nos próximos dias.

O inverno começa, oficialmente, no dia 21 de junho, e os cuidados com a saúde merecem mais atenção com a chegada do frio, alerta o médico Márcio de Freitas. Ele chama a atenção para a mudança de clima e de comportamento da população nessa época do ano, na qual além das baixas temperaturas, os dias também encurtam. “E aí, a tendência é de que as pessoas fiquem em lugares fechados, aumentando a transmissão de doenças respiratórias”, explica.

Para evitar o contágio de doenças como gripes e rinites, o médico afirma que é necessário manter os ambientes arejados e criar o hábito de tomar sol, o que ajuda a eliminar vírus e bactérias, explica Freitas.

Os hábitos já difundidos e bastante conhecidos pela população são, segundo o médico, armas poderosas no combate e na prevenção às doenças típicas dessa época do ano. Lavar a mão frequentemente e utilizar álcool gel são algumas das dicas que previnem o surgimento das doenças.

Além disso, o médico ressalta a importância de manter hábitos saudáveis, como o consumo de frutas, verduras e legumes variados, potencializando o consumo de vitaminas e fortalecendo o organismo. “A prática de atividades físicas é também fundamental para aumentar a imunidade”, destaca.

Como forma de prevenção, o médico orienta que a população evite a automedicação e faça uso apenas de antitérmicos caso note o aparecimentos de sintomas leves de resfriado. A partir do momento que os sintomas se intensificam, Freitas alerta que é necessário solicitar ajuda médica.

“Quando os sintomas começam a se intensificar, como febre alta, dor no corpo, dor de cabeça intensa, falta de ar, é preciso procurar ajuda médica porque pode estar desenvolvendo um quadro mais grave de gripe ou outra doença”, explica.

Outra dica dada pelo médico é não desconsiderar os velhos ensinamentos que costumam ser transferidos geração após geração. “Algumas coisas são muito importantes como se agasalhar adequadamente, não pisar em chão descalço e não sair com o cabelo molhado. As dicas da avó funcionam e são bem pertinentes”, diz.

Além disso, o médico orienta a população que pertence a grupos de risco que procure as unidades de saúde para vacinação. “As vacinas são fundamentais e ajudam a diminuir a propagação e tornar os casos menos severos nos grupos mais arriscados”, destaca.

O médico explica ainda que, em caso de gripes e doenças respiratórias, é importante dar atenção a boa alimentação. “Em geral, as pessoas perdem o apetite e a pior coisa nestes momentos é não se alimentar”, diz. “A hidratação adequada é outro ponto fundamental, pois faz com que o organismo se fortaleça e combata com mais eficácia os vírus”, completa.