Os sete integrantes da família de uma mulher de 37 anos que retornou da Espanha no início do mês, monitorados desde então pela Vigilância Epidemiológica de Maracajá, até esta segunda-feira (13), deixaram de ser considerados casos suspeitos de portarem o coronavírus.

A família e vizinhos, com quem tiveram contatos pessoais nos dias que se seguiram a chegada da mulher vinda da Espanha, foram orientados a manter o isolamento social e seguir as normas de prevenção para evitar a contaminação, informou a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Maracajá, Ana Caroline Araújo, nesta tarde.

Boletim - Maracajá

Com o descarte destes sete casos suspeitos, o município, a partir desta tarde, passa a não ter nenhum caso nesta condição, mas a situação deve mudar amanhã, conforme previsão da enfermeira.

Um novo protocolo do Governo do Estado, publicado na quinta-feira (9), determina que todo paciente com sinais de gripe venham a ser testados e considerados “suspeitos”.

“O número de suspeitos, nos boletins diários, com isto vai aumentar, acreditamos”, disse Ana Caroline.

Nesta terça-feira (14) está prevista a coleta de material de duas pessoas, atendidas no Cemasas e, se confirmada a manutenção do estado gripal, passam a ser considerados suspeitas para efeitos estatísticos e de controle do Governo do Estado.