Aproximadamente mil crianças devem ser absorvidas da fila de espera dos centros de educação infantil em Jaraguá do Sul no ano que vem. Atualmente, a lista conta com 1,3 mil inscritos. Entretanto, o número deve aumentar rapidamente quando for reaberto o cadastro, em fevereiro. Durante o ano, a lista oscila entre 800 e mil crianças, conforme informações da Secretaria de Educação. O secretário Rogério Jung explica que a fila no ano que vem irá depender da demanda .“Tentamos diminuir ao máximo o número de famílias que estão aguardando, mas a fila é rotativa, enquanto matriculamos novos alunos, outros são cadastrados”, comenta. Jung destaca que, por mês, nascem cerca de 200 bebês apenas em Jaraguá do Sul. A fila, de acordo com Jung, é influenciada por diferentes fatores. “Neste ano, tivemos muitos novos alunos que vieram de centros particulares devido à crise econômica”, observa o secretário. Outra questão, conforme ele, é que muitas famílias, quando são chamadas, não aceitam a vaga oferecida em virtude do local. Nestes casos, a criança retorna para a fila. “Tentaremos mudar este sistema, pois a vaga foi ofertada à família, mas ela não aceitou”, destaca. Cada centro de educação infantil, são 29 no total, atende em média 180 crianças. De 2016 para 2017, a rede municipal contava com 930 vagas nas creches. Este ano o total passou para 1.095. Um incremento de 165 matrículas. No município, a educação infantil atende 7,5 mil crianças, considerando os alunos matriculados nas creches (zero a três anos) e na pré-escola (quatro a cinco anos e 11 meses). Segundo a gerente de educação infantil, Janine Petry, o número de vagas ofertadas neste ano está maior em relação ao do ano anterior, mas a procura também está estabilizada. “Conseguimos regular algumas questões internas para deixar o sistema mais eficiente e capacitamos os profissionais, deixando o modo de trabalho mais claro e dinâmico”, aponta.
No município, a educação infantil atende 7,5 mil crianças | Foto Eduardo Montecino/Arquivo/OCP
Os primeiros meses do ano são os que registram menos pessoas aguardando na lista, por ser quando se encerra a chama das famílias. O próximo ano começa com um déficit 205 vagas, afirma a gerente de educação. “Para suprir ainda mais, seria necessário aplicar muitos recursos, principalmente na construção de centros maiores”, avalia o secretário, que também ressalta a qualidade do ensino público do município. Janine orienta que as famílias inscritas serão chamadas até março. A maior demanda atualmente é pelas turmas do berçário, onde cerca de 500 crianças aguardam. Segundo ela, um dos fatores que facilitam a rotatividade da lista é estimular que as secretarias tentem preencher as vagas assim que elas são abertas nas unidades. “Um trabalho criterioso está sendo feito com a avaliação da documentação dos pais”, comenta. Edital para compra de vagas será lançado em fevereiro A Secretaria de Educação irá lançar em fevereiro o edital para as instituições que desejam ofertar vagas de creche à Prefeitura. Elas poderão ser privadas ou sem fins lucrativos. A princípio, serão compradas 100 vagas para turmas de berçário. “Neste primeiro momento, vamos ver se este modelo funciona aqui em Jaraguá como em outras cidades”, aponta o secretário de Educação, Rogério Jung. Conforme o responsável pela pasta, a compra de vagas é em média 50% mais em conta do que a manutenção de uma estrutura própria, considerando gastos com equipe pedagógica, contas mensais e outros. Entre fevereiro e março, a Prefeitura também deve finalizar a creche do Braço Ribeirão Cavalo e a do condomínio Erika Modro Menegotti, gerando cerca de 400 novas vagas. A reforma na estrutura onde funcionava o abrigo institucional do Tifa Martins também deve iniciar no ano que vem e ajudar a expandir a oferta de atendimento nas creches. Lista de espera em Guaramirim é de 474 crianças Em Guaramirim, a fila de espera por vagas nos centros de educação infantil possui 474 crianças. O cadastramento, no entanto, não é unificado, o que significa que a mesma família pode se inscrever em mais de uma creche para ser atendida. Para diminuir a demanda, a Prefeitura irá abrir uma turma de berçário no centro de educação infantil Maurita Maria Rosa e na Zilma Flores da Silva. A estrutura construída no bairro Figueirinha, nomeada como Rosa Vinir Dalprá Pestoni, será inaugurada no ano que vem, abrindo aproximadamente 36 vagas. LEIA TAMBÉM: - Investimento em Educação cresce quase três vezes desde 2007