É em maio, no dia 31, que ocorre uma grande mobilização contra o tabagismo. A data é conhecida como Dia Mundial sem Tabaco e foi criada em 1987 pela Organização Mundial da Saúde. Em Joinville, o CHO (Centro de Hematologia e Oncologia) tem divulgados dados importantes sobre as doenças decorrente do cigarro. A intenção é alertar a comunidade para as doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo.

Dados do Instituto Nacional do Câncer afirmam que o câncer de pulmão é a primeira causa de morte por câncer no Brasil. São 428 mortes por dia relacionadas ao tabagismo. Somente em 2018, estima-se que mais de 31.200 pessoas vão morrer de câncer de pulmão no país. “Em 9 anos, o número de fumantes caiu 30,7%, mesmo assim são um bilhão de fumantes no mundo”, destaca o oncologista do CHO, dr. Celio Kussumoto.

Estudos comprovam que o tabagismo tem relação direta com vários tipos de câncer. “Sabemos hoje que 30% da existência de todos os cânceres no país estão relacionados ao tabaco e que 12,6% das mortes que ocorrem anualmente podem ser relacionadas ao tabagismo. A doença pode se manifestar em vários locais como pulmão, laringe, bexiga e pâncreas. No caso do câncer de pulmão, a relação já é bem mais alta: 80% dos casos tem ligação com o cigarro e outros tipos de fumo”, diz.

Em média, uma pessoa que fuma reduz em 6,2 anos a sua expectativa de vida.  “Queremos aproveitar a data para mostrar que diversos tipos de doenças podem ser evitadas quando não fumamos. Acreditamos que o Dia Mundial sem Tabaco possa ser uma excelente data para deixar de fumar e iniciar uma vida mais saudável”, comenta Kussumoto. “Até porque, 15 anos depois de se parar de fumar o risco de se ter câncer de pulmão é quase igual a quem não fuma”, cita.

Uso do narguilé preocupa

Apesar do número de fumantes ter caído, o consumo do narguilé tem aumentado, especialmente entre os jovens. Assim como o charuto, eles são derivados do tabaco e fazem mal ao organismo como um cigarro. “A cada sessão de narguilé a quantidade de fumaça inalada equivale a de cem cigarros”, informa o oncologista. Mesmo sem ser tragada, apenas o contato da fumaça na boca pode causar câncer na cavidade oral.

A combustão do narguilé produz mais de 4.700 substâncias tóxicas já conhecidas presentes no cigarro e que causam o câncer. Os aditivos de sabor apenas mascaram o perigo do uso. Além disso, a presença da nicotina em determinadas concentrações pode gerar a dependência do produto.

Estatísticas revelam que os fumantes comparados aos não fumantes apresentam risco:

  • 10 vezes maior de adoecer de câncer de pulmão;
  • 5 vezes maior de sofrer infarto;
  • 5 vezes maior de sofrer de bronquite crônica e enfisema pulmonar;
  • 2 vezes maior de sofrer derrame cerebral.

Se parar de fumar agora...

  • após 20 minutos sua pressão sanguínea e pulsação voltam ao normal;
  • após 2 horas não tem mais nicotina no seu sangue;
  • após 8 horas o nível de oxigênio no sangue se normaliza;
  • após 2 dias seu olfato já percebe melhor os cheiros e seu paladar readquire a capacidade de identificar sabores;
  • após 3 semanas a respiração fica mais fácil e a circulação melhora;
  • após 5 a 10 anos o risco de sofrer infarto será igual ao de quem nunca fumou.

*Com informações de assessoria de imprensa