A equipe de Saúde Mental de Jaraguá do Sul está fazendo um chamado aos jaraguaenses para se engajarem na luta antimanicomial e “Resistir com Arte”. Esse é o tema escolhido para o dia nacional dedicado à luta, 18 de maio, quando acontece a 8ª edição da Caminhada da Saúde Mental do município.

Conforme a coordenadora dos serviços de Saúde Mental de Jaraguá do Sul, Denise Thum, a utilização da arte no processo terapêutico é o contraponto ao retrocesso que o país está vivendo em relação à Reforma Psiquiátrica no Brasil. “A arte é a maior expressão de liberdade e de autonomia”, ressalta.

Para Denise, as conquistas asseguradas em lei, com atendimento mais coletivo e participativo, estão ameaçadas. Segundo ela, a mudança da coordenação nacional de saúde mental, em setembro do ano passado, deu início a uma série de medidas que representam esse retrocesso.

Desejo de inclusão

O aumento do número de leitos para internação de pacientes psiquiátricos é uma delas. “Nossa luta é pela inclusão desses pacientes, pelo convívio social, com o mínimo de internações e pelo menor tempo possível”, diz.

Em Jaraguá do Sul, os três Centros de Atenção Psicossocial (Caps) promovem aproximadamente 1,7 mil atendimentos por mês nos Capsi, Caps AD e Caps II. O serviço consiste em assistência médica, psicológica, social e oficinas terapêuticas que auxiliam no processo de socialização e de autoestima do paciente.

São atendidos direto nos Caps casos de crise psiquiátrica, tentativa de suicídio e violência sexual. Outros casos passam pela unidade de saúde para posterior encaminhamento. No Caps AD (Álcool e Outras Drogas), a demanda é espontânea, ou seja, o usuário pode procurar diretamente o atendimento. O serviço também orienta familiares dos dependentes químicos.

Uma equipe multidisciplinar formada por 45 profissionais realiza o atendimento.

Programação

Neste ano, a caminhada que aconteceu na sexta-feira (18) terá outro trajeto do Centro da cidade. O evento terá início às 9h, com saída em frente ao Terminal Urbano, na rua Getúlio Vargas, seguindo pela Emílio Carlos Jourdan e Epitácio Pessoa, até o Ginásio Arthur Müller.

Lá, haverá abertura, apresentação da banda da EEB Albano Kanzler, roda de conversa sobre o tema e intervalo para o almoço. À tarde, a programação retorna às 13h, com momento de alongamento, apresentações culturais, contação de história, apresentação de dança gaúcha, aula de zumba, roda de música e encerramento previsto para às 16h30.