A busca por inovar, a curiosidade e criatividade de Rogério Jung, de 47 anos, e seus colegas da equipe da Garage 51, levou esses jaraguaenses a montarem um veículo no mínimo diferente e que também tem um nome curioso: Lambrespa. Trata-se de uma pequena moto em que o chassi é feito com o para-lamas do tradicional carro da Volkswagen, o Fusca.

Sempre apaixonado por desmontar e reformar as coisas, Rogério iniciou suas atividades reformando um Jipe ano 1954 de uma família de amigos e posteriormente reformou outro de 1951, e acabou ficando com ele.

Toda semana, ele se reunia com cinco casais de engenheiros que possuíam conhecimentos sobre a área e trocavam informações sobre reformas e afins. Foi quando em uma dessas reuniões ele mostrou o projeto do americano Brent Walter e deu a ideia de construir a tal Lambrespa.

"Eu peguei o projeto e falei 'Vamos montar uma motinho dessa?' e todos concordaram. Era uma terça-feira à noite e na sexta-feira eu já tinha reunido todas as peças para o projeto. Convidei o pessoal para montar ela no sábado de manhã, eles acharam que era brincadeira", conta Rogério.

Era março de 2019, Rogério e a equipe da Garage 51 começaram o projeto da primeira Lambrespa, que recebeu este nome da mistura de "lambreta" com "vespa" . Ela só foi concluída em novembro, perto da Schützenfest daquele ano. Ele publicou algumas fotos e achou que seria somente uma simples "motinho".

Primeira Lambrespa produzida em 2019. Foto: Reprodução/Garage 51.

"Eu recebi mensagem de um rapaz que dizia ser da Revista Quatro Rodas e tinha ficado interessado na Lambrespa. Eu achei estranho, nós fazermos uma motinho e o pessoal da Quatro Rodas vir atrás. Alguns dias depois ele mandou eu acessar o site da revista, pois a minha reportagem estava lá", disse Rogério.

Foi uma grande alegria para Rogério sair em uma revista tão conceituada no mundo dos automotivos. A reportagem conta a história dele e de todo o processo de montagem da Lambrespa.

Em fevereiro de 2020, com a história da Lambrespa saindo na Revista Quatro Rodas, a mini-moto se tornou muito difundida e foi uma surpresa para Jung e a equipe Garage 51. As pessoas começaram a encomendar a Lambrespa, umas das primeiras foi vendida para Minas Gerais em julho de 2020. Desde então foram mais de 80 entregas pelo Brasil e até mesmo para os EUA.

"Nós já entregamos em todo o Brasil, há pouco tempo atrás conseguimos entregar uma Lambrespa para Miami, na Flórida. Já tentamos exportar, mas o custo é muito alto e acaba inviabilizando o produto, porém temos planos de fazer uma entrega em Portugal", conta Rogério.

Foto: Divulgação/Garage 51.

Montagem

Toda a produção das mini motos é feita pela Garage 51, o único processo que não é feito no local é a pintura do chassi. As peças são das motos Honda CG, pois facilita a manutenção.
O modelo do motor é do tipo estacionário 7 HP com 210 cilindradas, 4 tempos, e alcança velocidades superiores a 35 km/h, mas foi colocado um limitador de velocidade para a proteção do piloto.

A legislação ainda não permite a Lambrespa rodar em vias públicas. Segundo ele, são permitidos somente veículos de até 49 cilindradas e o condutor precisa ter CNH e autorização do Detran. Rogério tentar legalizar e fazer emplacamento, mas ainda não conseguiu.

Agora ele e a equipe, pretendem lançar mais três projetos deste tipo veículo: Lambrespa dupla, mini moto e pedal car para crianças baseado em veículos antigos, como Calhambeque e mini Hot Rod.
Atualmente eles conseguem produzir cerca de três por semana e o prazo de entrega desde o pedido é de cerca de 50 dias. O preço médio para adquirir uma Lambrespa é de R$ 8.500.

Outras pessoas já produzem as motos com para-lamas de Fusca, mas Rogério conta que cada fabricante possui uma peculiaridade e deles é "fazer as mais completa, com luz alta, luz baixa, buzina, pisca, retrovisor, luz de freio, freio a disco", comenta. "Sempre nos preocupamos em fazer o serviço completo", conclui.

Foto: Reprodução/Garage 51.