O desembargador Júlio César Knoll deferiu parcialmente novo pedido formulado pela prefeitura da Capital para determinar o bloqueio de R$ 200 mil diretamente na conta do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Sintrasem), pelo reiterado descumprimento das determinações judiciais prolatadas após a decretação da ilegalidade da paralisação dos trabalhadores da Comcap.

Além de não retomar suas atividades, apontou a administração municipal, os servidores da autarquia têm promovido atos de vandalismo e de violência junto aos colegas que não aderiram ao movimento.

Se os cofres do sindicato não puderem fazer frente ao valor da multa, o bloqueio via Sisbajud ocorrerá nas contas dos dirigentes da entidade - entre seu presidente e os demais integrantes da diretoria. Novos descumprimentos poderão fazer a multa chegar a R$ 300 mil

Em outra frente, o desembargador Knoll encaminhou ofícios e entrou em contato com autoridades para solicitar a abertura de inquérito policial com o objetivo de apurar as ações levadas a cabo pelo Sintrasem após a declaração de ilegalidade do movimento grevista.

Também acionou o Ministério Público para que designe um promotor específico para acompanhar tais investigações. Por fim, ainda no âmbito judicial, aplicou multa de 20% sobre o valor da causa por ato atentatório à dignidade da justiça.

Madrugada tem novas tentativas de ataques

Além de tentativas de arrancar fios de caminhões da coleta para paralisar os equipamentos, durante o uso no recolhimento de lixo de Florianópolis, alguns caminhões também foram vítimas de “miguelito”, uma espécie de pregos colocados na estrada para furar os pneus, durante a madrugada de domingo para segunda.

A tentativa de sabotar a coleta de lixo na cidade, mesmo após um dos piores dias enfrentados por Florianópolis por conta da forte chuva, prejudica ainda mais a situação das ruas e o trabalho do município na recuperação da cidade.

Três caminhões que trabalham na coleta de lixo emergencial, realizada por uma empresa privada após a greve na Comcap, foram depredados durante a madrugada deste sábado (23). Enquanto eles paravam em locais para recolher o lixo, um carro encostou do lado e puxou os fios responsáveis pelo comando de abastecimento dos veículos. Com isso, roteiros como o do bairro Monte Verde, no Norte da Ilha, foram prejudicados por falta de equipamento.

Presidente da Comcap tem casa atingida

Também na madrugada de sábado para domingo (24), a residência do presidente da Comcap foi atingida por um artefato explosivo. Ninguém se feriu. A Prefeitura está em contato com as forças de segurança do Estado que devem tomar novas iniciativas nas próximas horas.

Na madrugada dessa sexta-feira para sábado (23), o presidente da Câmara de Vereadores, Katumi Oda, teve sua propriedade alvo de vandalismo. De acordo com testemunhas, houve tentativa de colocar fogo no portão do sítio do parlamentar. Na quinta-feira (21), foi o vereador Dalmo Meneses quem teve sua casa alvo de um arremesso de artefato explosivo. Ele fez boletim de ocorrência.

Já na quarta-feira (20) foi o líder de governo, vereador Renato Geske, que teve sua farmácia atingida por uma pedra que quebrou a vidraça. A polícia civil investiga a autoria do atentado e já tem a placa do carro que teria transportado o suspeito.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp