Suzane Von Richthofen foi autorizada pela Justiça a deixar a prisão para estudar Farmácia em uma faculdade de Taubaté, no interior de São Paulo. Ela foi condenada a 39 anos e seis meses de prisão por participar do assassinato dos pais em 2002.

A decisão liminar foi assinada pelo desembargador José Damião Pinheiro Machado Cogan, relator do processo, na sexta-feira (10), autorizando-a imediatamente a estudar.

“Se o que a lei almeja é a reintegração social não há razão para que a mesma fique sem frequentar a faculdade onde conseguiu matrícula e financiamento de seu curso, tendo sido aprovada no Enem.”, afirma o desembargador.

Ela se matriculou no período noturno e vai iniciar o curso com atraso, o pedido foi protocolado em 12 de agosto e as aulas começaram no dia 16. Suzane vai poder sair da Penitenciária Feminina de Tremembé às 17h e deve retornar às 23h55.

A faculdade Anhanguera, onde Suzane se inscreveu, informou ao G1 que "trata diretamente com seus alunos, caso necessário, eventuais ações a respeito de sua frequência e desempenho escolar, pois trata-se de assunto de cunho particular. A instituição ressalta que a matrícula da aluna foi autorizada pela Justiça e esclarece que oferece a todos tratamento igual, conforme determina a legislação brasileira”.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp