Na tarde desta terça-feira, no Fórum da Comarca de Criciúma, aconteceu a entrega simbólica de R$ 500 mil que o Poder Judiciário de Santa Catarina (PJSC) destinou para o Hospital São José (HSJ), de Criciúma. A destinação foi realizada pelo juiz Ricardo Machado de Andrade e entregue à diretora geral do hospital, Irmã Isolene Lofi.

Segundo o magistrado, quando questionado pelo PJSC sobre a instituição de saúde a ser beneficiada não teve dúvidas em sua indicação.

“A comarca indicou o Hospital São José para receber a doação por atender toda a região com destaque no tratamento das pessoas com Covid-19. Essa é uma ação extremamente importante para esse momento que estamos vivendo e para auxiliar estes hospitais que tratam muitos pacientes com coronavírus.”, afirmou.

O juiz de Direito ainda explicou que não é um filho natural de Criciúma, mas que foi adotado e adotou a cidade e ficou muito feliz que uma entidade de tamanha importância para a região tenha sido beneficiada.

A diretora geral do HSJ, Irmã Isolene Lofi, também expressou a alegria e gratidão da instituição em ser beneficiada e agradeceu em nome dos muitos beneficiados.

“Tudo que ganhamos para o custeio vai chegar para as pessoas, que muitas vezes não sabemos o nome ou conhecemos o resto, mas serão esses os beneficiários. Certamente se eles pudessem se manifestar a estas pessoas que ao longo desta pandemia têm nos ajudado, teriam muito para dizer e agradecer”, destacou.

A administradora explicou que o valor deverá ser aplicado especialmente na compra de medicamentos, que têm sofrido aumento de preços exponencial durante a pandemia.

“Veio num momento muito oportuno para o hospital e somos profundamente agradecidas por esse gesto”.

Nesta destinação, instituições de saúde das seis mesorregiões do Estado de Santa Catarina foram beneficiadas com R$ 500 mil cada, totalizando R$ 3 milhões. Os recursos deverão ser aplicados exclusivamente na aquisição de insumos, materiais ou equipamentos necessários ao combate da pandemia da Covid-19 ou para o tratamento dos enfermos da doença.

Os valores são oriundos do cumprimento de pena de prestação pecuniária, de homologação judicial do acordo de transação penal e de aceitação da suspensão condicional do processo em ações criminais.