O número de mortes decorrentes do tabagismo no Brasil, segundo estudo realizado com apoio do INCA (Instituto Nacional de Câncer), corresponde a 12,6% das mortes anuais registradas em território nacional em 2017.

No ano passado, 428 pessoas morreram por dia no país por causa do tabagismo. Além disso, 73,5 mil pessoas foram diagnosticadas com câncer provocado pelo uso do tabaco. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), o tabaco mata, anualmente, mais de 7 milhões de pessoas no planeta e, boa parte delas, 890 mil, são fumantes passivos. Ainda de acordo com a OMS, o tabagismo é a principal causa de morte evitável em todo o mundo.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

Em Jaraguá do Sul, não é diferente.  Entre os anos de 2012 e 2016, de acordo com a gerente de programas de saúde do município, Joyce Ribeiro Bueno, foram registradas 335 mortes relacionadas ao câncer provocado pelo tabagismo. Destes casos, a maior incidência é de câncer de pulmão e garganta, mas ela alerta que doenças cardiovasculares são frequentemente provocadas pelo uso do tabaco.

Neste ano, o Dia Mundial sem Tabaco, celebrado na quinta-feira (31), irá trabalhar com foco nos jovens de Jaraguá do Sul, garante Joyce. Com o tema “Com cigarro eu não chegaria onde estou”, a campanha jaraguaense conta com uma imagem positiva de peso, o jogador Filipe Luís, jaraguaense que defende a seleção brasileira na Copa do Mundo da Rússia.

Para Joyce, é importante ter a imagem de um jaraguaense que conquistou o sonho de vestir a camisa da seleção tendo hábitos de vida saudáveis e dispensando o uso do tabaco.

Joyce alerta que o uso de cigarro é preocupante, apesar das inúmeras ações, campanhas e publicidade em torno do tema.

“Em Jaraguá do Sul ainda é um problema grave por conta do público jovem, principalmente, e pelo uso de outros tipos de tabaco além do cigarro, como narguile e cigarro eletrônico, essas novas drogas que estão sendo consumidas. Os jovens precisam se conscientizar que é algo muito grave”, destaca.

Campanha contra o tabaco

O objetivo central da campanha é a não iniciação do uso do tabaco e a prevenção de ambientes livres da fumaça, afirma a gerente.

Joyce enfatiza dados preocupantes relacionados ao tabagismo, que é responsável por 63% das mortes relacionadas à doenças crônicas não transmissíveis, 85% das mortes por doença pulmonar crônica, 30% das mortes decorrentes dos diversos tipos de câncer – principalmente o de pulmão –, 25% das doenças coronarianas e 25% das doenças cerebrovasculares.

A campanha que irá se estender até o dia 29 de agosto, quando se celebra o Dia Nacional de Combate ao Fumo, irá promover diversas ações relacionadas ao tema. Como as ações previstas para quinta-feira foram suspensas devido à paralisação dos caminhoneiros, anova data ainda será definida e divulgada.

Embora o público alvo seja o jovem, a campanha se estende a toda a população. | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Entre as ações que serão desenvolvidas, afirma Joyce, esta combate à iniciação ao tabagismo nas escolas e também ações em ambientes de espera das unidades básicas de saúde, com orientação à população.

A gerente ressalta ainda que, embora o público alvo seja o jovem, a campanha se estende a toda a população como modo de incentivar a mudança no estilo de vida, com a adoção de práticas saudáveis, finaliza Joyce.