O joinvilense está começando a semana sentido bastante os reflexos da greve nacional dos caminhoneiros. Os postos de combustíveis seguem sem álcool, gasolina e diesel. O desabastecimento total começou ainda no sábado (26). Entre a madrugada e manhã de domingo (27) uma rede de três postos conseguiu um carregamento de 30 mil litros de gasolina. Uma fila gigantesca se formou nos postos da rede, que por volta das 14 horas, novamente ficou com os reservatórios vazios.

Na manhã desta segunda, o presidente do Sindipetro/SC (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Santa Catarina), Luiz Antonio Amin, esteve em uma distribuidora de combustível de Guaramirim para mediar a retomada do abastecimento na mais populosa cidade catarinense. Até às 10h40 minutos, não havia novidades.

Ainda no fim de semana o Sindicato entrou com uma liminar na Justiça, pedindo para que as bases de distribuição de combustível de Itajaí e Guaramirim fossem liberadas. A juíza federal substituta, Claudia Schlichta Giusti, deferiu o pedido relacionado à Guaramirim. Por lá, segundo o Sindipetro/SC não havia bloqueios no domingo, mas a distribuidora não estava fazendo a liberação dos combustíveis, contrariando o pedido da liminar.

Gás de cozinha

Outra dificuldade na cidade é a escassez total de gás de cozinha. Com os bloqueios de caminhões nas estradas, as distribuidoras não receberam botijões cheios. Muitas revendas de gás e água de Joinville nem abriram nesta segunda-feira, porque não tem o que vender.

Quer receber as notícias no WhatsApp? 

Região de Joinville. Clique aqui

Região de Jaraguá do Sul. Clique aqui

Região de Florianópolis. Clique aqui