Você já se imaginou superando os próprios limites ao escalar montanhas pelo mundo, enfrentando uma jornada árdua, longe de tudo, com temperaturas abaixo de zero? Essa é a meta do montanhista Hélio Fenrich, 39 anos, que está desafiando a si mesmo ao ter se lançado no “Projeto 7 Cumes – SC no Topo do Mundo”, para escaladas nas maiores montanhas dos cinco continentes. Sete brasileiros concluíram o desafio, criado pelo norte-americano Dick Bass, em 1985. “Sou o primeiro catarinense a me dedicar a esse projeto”, indica. O prazo previsto para a execução é de cinco a sete anos. “O primeiro brasileiro que escalou o Everest é Waldemar Niclevicz. Depois desse marco foi que comecei a acompanhar esse esporte”, conta. Hélio, que atua como coordenador de vendas e conta com patrocínio de uma empresa metalúrgica de Jaraguá do Sul, realizou a primeira das sete etapas do projeto em dezembro de 2015, ao escalar o Aconcágua, na Argentina, de 6.962 metros, apontada como a maior montanha das Américas. Ele se prepara para a segunda aventura, em julho: ao Monte Elbrus, a 5.642 metros de altitude, um extravulcão extinto localizado na parte ocidental da Cordilheira do Cáucaso, na Rússia, o mais alto da Europa. O custo deve chegar a R$ 10 mil. E, se obtiver patrocínio, o segundo desafio de 2016 será subir os 5.892 metros do Kilimanjaro, na África, orçado entre R$ 6 mil e R$ 7 mil. Os outros cumes a serem escalados são: Denali (EUA), 6.149 metros, julho de 2017; Everest (Tibete),8.850 metros, abril de 2019; Carstensz (Oceania), 4.884 metros, agosto de 2020; e Vinson (Antártica), 4.892 metros, dezembro de 2020. Nascido em Toledo (PR) e radicado em Jaraguá do Sul há 26 anos, Fenrich fez questão de levar a bandeira de Jaraguá do Sul quando ascendeu ao Aconcágua, em dezembro do ano passado: “Essa é a cidade que escolhi para viver”, diz, sobre o município do Vale do Itapocu. Para conhecer mais e contribuir com o projeto, os contatasão: (47) 9651-3377, heliofenrich@gmail.com e www.7cumes.com.