Quem vê Karina Pescharki toda produzida hoje não imagina tudo que a jovem de 24 anos já passou.

Ela nasceu com uma doença rara chamada síndrome de Klippel-Trenaunay e uma má formação na medula óssea. Em 2018, precisou amputar a perna esquerda e agora busca ajuda para comprar uma prótese especial.

A doença fez com que sua perna esquerda crescesse mais do que a direita, por isso ela conta que sempre precisou comprar dois pares de sapatos iguais, mas de tamanhos diferentes.

"O meu problema sempre foi visível, mas quando eu ia para a escola, usava calças para esconder, não importava o calor que estava", declara.

"Em 2016 eu engravidei, sendo que eu não podia ter filhos. Os médicos sempre disseram que se eu tivesse um, ele iria nascer com algum problema ou que eu não aguentaria a gestação", destaca Karina.

Hoje com três anos, Valentina nasceu sem nenhum problema.

Karina conta que a filha nasceu com uma mancha na perna, mas não passa de uma marca de nascença | Foto Eduardo Montecino / OCP News

No ano passado, no retorno de uma consulta com especialista de São Paulo (SP), a jaraguaense teve um sangramento no joelho.

Os parafusos implantados no local estavam rasgando sua pele para sair. "Quando o médico falou em amputar, eu gelei", conta ela.

Karina revelou ter sentido muito medo, pois, devido a sua patologia, ela possui mais vasos sanguíneos que outras pessoas e até mesmo um pequeno corte pode gerar uma hemorragia.

"Mas eu não tinha outra opção, porque a infecção já estava pegando no meu fêmur", ela explica.

A jovem, então, decidiu amputar a perna, e no dia 13 de julho, depois de sete dias recebendo sangue e fazendo tratamento, a cirurgia foi feita.

"Mais uma vez achei que meu problema tinha acabado, mas depois da cirurgia eu tive várias crises de sangramento pelo corte. O meu sangue não coagulava, ele queria sair. E cada vez que sangrava eu ia para o hospital, direto para a UTI", relata Karina.

Desde então, a última vez em que a jaraguaense precisou ser internada foi na véspera do natal passado. "Agora estou conseguindo fazer as coisas que eu fazia antes", comemora.

Foi então que a jovem conheceu Giovanna Cleto e Tharyne Zapella, influenciadoras digitais do perfil Fitness ao Contrário, do Instagram.

As três fizeram uma parceira para a maquiagem e Karina poderá pôr em prática tudo o que aprendeu em um curso, que ganhou de uma amiga.

Foto Arquivo Pessoal

"Elas tiveram a ideia de fazer um evento para arrecadar o dinheiro da prótese", comenta.

Noite da Pizza foi realizada no dia 23 de março, tudo feito com parceiros de Giovanna e Tharyne. Karina conseguiu arrecadar R$ 2,6 mil, mas a prótese especial que ela precisa custa cerca de R$ 19 mil.

Como ela tem um desgaste na cabeça do fêmur, não são todos os tipos de prótese que conseguiria usar.

A do SUS (Sistema Único de Saúde), por exemplo, não serviria para Karina, por ser muito pesada e a jovem poderia quebrar o quadril.

Um médico já lhe falou sobre as possibilidades de prótese e no dia 7 de maio ela terá uma consulta no Instituto de Prótese e Órtese (IPO), de São Paulo, às 14h.

O problema é que a jaraguaense ainda não conseguiu o valor suficiente para comprar as passagens de ida e volta.

Para que ela consiga fazer a viagem e também comprar a prótese, está sendo feita uma rifa no valor de R$ 2, que pode ser adquirida na Invictus Centro Estético, Hela Estética e na Casa do Chocolate, em Jaraguá do Sul.

Como ajudar

Quem quiser contribuir com maiores valores, pode enviar uma mensagem no WhatsApp da própria Karina no (47) 9 9778-9211, pedindo o link para a vaquinha online, ou fazer um depósito na conta 17.454-8, agência 3012-0 do Banco do Brasil.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?